14/02/2013

Made in UK...Again!

Quem disse que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar? Mais uma inglesa de voz forte e pele branca encarna o melhor da Soul Music.
 
 
 
 

Outro dia estava vendo o novo comercial da Chanel e fiquei realmente extasiado ao ouvir Joss Stone interpretando de uma maneira soberba um grande clássico da música negra "It's A Man's Man's Man's World", eternizado por ninguém menos que James Brown.

Não que fosse alguma novidade esta versão da musa inglesa. Mas é que naquele momento me dei conta que a Soul Music de verdade está viva na Inglaterra e não na sua terra mãe. Que não param de nascer novos talentos para a vertente na terra da Rainha Elizabeth II. E todos com autoridade.

Mal tínhamos ficados de boca aberta com a Joss Stone por exemplo, e surge um furacão como Amy Winehouse em seguida, colocando a Soul Music como um novo fenómeno Pop. E depois vem Adele pra ser a maior cantora do mundo hoje em dia. Isso sem falar em Duffy, Rebecca Fergusson, e por aí vai.

E quem disse que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar? Mais uma inglesa surge para a Soul Music. Não sei em que proporção. Mas é mais uma mulher bonita de pele branca e voz potente. Com um grande talento e um bom gosto fora do comum. Uma cantora que não liga pra modismos.

Ela é Helena Jesele que está lançando seu álbum de estréia, o ótimo "Sweet Sticky Fix", que entre tantas coisas boas vem assinado por Paul O'Duffy que trabalhou em Back To Black com Amy Winehouse, e a turma do Truth and Soul responsáveis pela produção de ninguém menos que Aloe Blacc.

Ou seja, além do talento natural desta garota de Manchester, ela surge muito bem amparada em termos musicais. Talvez até por isso "Sweet Sticky Fix" supreende do começo ao fim. É um discasso cheio de influências sessentistas e setentistas e que exala música negra por todos os poros.

O álbum é muito bem produzido. Tem uma qualidade sonora esplêndida. Os arranjos são sofisticados e inteligentes e claramente demonstra o amor pela música negra. É simplesmente delicioso ouvir a abundância de metais e cordas nas faixas. Fora as partituras orquestrais de muitas canções.

Também gostei do fato de que a maioria das músicas são sobre o lado mais sombrio do amor - por exemplo, obsessão, decepção, frustração - por isso Helena Jesele se mostra autêntica com sentimentos reais em comparação com um monte de músicas sem sentido que tem tocado por aí.

Destaque 5 estrelas para 2 faixas de "Sweet Sticky Fix". Realmente são 2 músicas muito acima da média e que vale o álbum inteiro."Lovesick Avenue" é uma balada cheia de sabor e lindíssima que os remete a Incognito, e"Sun Is Rising" que tem um groove hipnótico (veja o video http://t.co/G3kCGta5).

Mas não é só isso. Temos também outras faixas maravilhosas como "Let The Game Begin"(veja o video
http://t.co/tlm8bvfLPd) , "Pretty Pretty Lights", "Higher Mountains", "Smash My Heart" e a estonteante "Girl In London". Enfim um grande album de Soul, delicado e com boa música.

Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli