17/01/2017

As Mil Faces de Joey Negro

Não importa qual nome ele use, o produtor inglês David Lee é um dos que melhor incorpora o groove dos anos 70 e o coloca para os dias de hoje.
 
 
 
 

O nome real é David Lee. Mais conhecido como Joey Negro. As vezes atende pelo nome de Jakatta também, ou Raven Maize, Doug Willis, Foreal People, Akabu, Mistura, Sessomato ou Prospect Park. Não importa, seja qual for seu nome ele é um cara pra lá de criativo. É o Fernando Pessoa do groove.

Ele resgata o groove dos anos 70 e o transforma em música atual e contemporânea. É vida inteligente na Cena Dance. Simplesmente a Sunburst Band é dele. E o mais incrível de tudo é que mesmo sendo produtor de primeira linha, mesmo tendo uma incrível sensibilidade musical, ele não toca praticamente nenhum instrumento.

Nem por isso ele deixou de colocar alma num tipo de música que tem tudo para ser descartável. Mesmo parecendo um doidão, Joey Negro é realmente um talento. Um tremendo de um workaholic.  E também um tremendo arqueólogo musical. Suas coletâneas são irreparáveis, nada óbvias.

 
 
 
 

O Início

Joey Negro começou praticamente sua carreira em 1988 ao fundar seu primeiro selo "Republic Records" que dois anos depois seria sepultado. Já se mostrava um cara bem inquieto..Ele navegava pelos acordes do Acid House na época produzindo faixas para o coletivo "M-D-Emm" que não deu em nada.

Com o codinome "Raven Maize", Joey foi um dos primeiros a usar samplers de música Disco em suas produções. Na verdade ele lançou o single "Together Forever" sob a supervisão de Blaze que continha partes de músicas do extinto e obscuro grupo disco "Exodus". Ele é mestre nisso.

Em 1990 ele estréia o nome Joey Negro trabalhando em parceria com Andrew 'Doc' Livingstone e Viv Hope-Scott e inaugurando o famoso selo ZRecords. A partir daí, Joey começava a colecionar um sucesso atrás do outro com um número infinito de codinomes. É impressionante sua força e capacidade para isso.

 
 
 
 

Doug Willis, Z Factor, Sessomato e Mistura. Ou seja, de um jeito ou de outro, com um nome ou outro, Joey se tornava figura obrigatória nos sets de DJs do mundo inteiro. E o mais legal de tudo é que ele sempre chamou artistas originais da Disco para suas incursões retrô.

Em 2000 aí como Jakatta, ele estourou no mundo inteiro com o single "American Dream" sampleando o famoso o inconfundível tema do filme "American Beauty". O trabalho de Jakatta tinha toda a influência da Dance Music de Ibiza. Uma Dance Music mais pop e menos underground.

Foi a partir daí que Joey começou a produzir "Progressive House" e se juntar a "Ministry Of Sound" com seu selo "Rulin Records". O mais interessante que até hoje só o single "You're Not Alone" leva a assinatura real de David Lee. Mas realmente isso pouco importa.

 
 
 
 

Joey Negro e sua Sunburst Band

Separei a Sunburst Band de propósito, pois este trabalho é um capítulo a parte na carreira de Joey Negro. E o melhor capítulo. Em 1998 Joey teve a brilhante idéia de resgatar o groove dos anos 70 e moldá-lo para os novos tempos. E para isso reuniu músicos de grupos de Acid Jazz.

Com músicos do Incognito, Jamiroquai e Kyoto Jazz Massive. Então com Michele Chiavarini nos teclados, Julian Crampton no baixo, Thomas Dyani-Akuru na bateria, Tony Remy na guitarra, e a vocalista Taka Boom, irmã de Chaka Khan, lançou o álbum "Here Comes The Sunburst Band".

As influências da Sunburst são declaradas e escancaradas. De Earth Wind & Fire a George Duke, de Sausoul Orchestra a Chic, de Shalamar a Roy Ayers, de Lonnie Liston Smith a Incognito. Ou seja, groove groove e mais groove, com recursos sonoros orgânicos e os dois pés nos anos 70.

 
 
 
 

Ainda a Sunburst Band lançaria em 2004 o maravilhoso álbum "Until the end of time". Que é a obra prima de toda carreira de Joey Negro. Um álbum impecável do começo ao fim com todas as melhores influências Disco e uma coleção de faixas realmente sensacionais. Para mim é um dos melhores álbuns que resgatam o Boogie dos Anos 70.

Três das quatro músicas célebres de toda a história da Sunburst Band estão neste álbum "We Will Turn You On" que carrega toda a alma do Chic. "Twinkle" que além de ser a melhor música da banda resgatou aí simpesmente a cantora Linda Cliford e "Everyday" que é um Soul Music notável.

Quatro anos depois Joey Negro e a Sunburst Band lançariam o ótimo "Moving With The Shakers" que traz a quarta música célebre da banda "Rough Times" composta por ninguém menos que a dupla Ashford & Simpson. E ainda tem "Sitting On Top Of The World" e outras pérolas.

Doug Willis, Foreal People, Akabu e companhia

 
 
 




 

Nos últimos anos David Lee investiu mais na sua faceta mãe Joey Negro e também em Doug Willis, Akabu, Foreal People, Mistura e Sessomato. Também lançou artsitas como JD73 e o notável álbum Pure Gold e diversas coletânes memoráveis como "The Soul Of Disco"  e "Back Street Brit Funk".

Mas foi com o Akabu que ele fez o melhor trabalho dos últimos tempos com o álbum "The Phuture Ain't What Used To Be" lançado em 2010. Só a faixa título já vale todo álbum. Mais ainda tem as maravilhosas "Behind The Mask" e "Life So Strange" que tem os belos vocais do cantor Tony Momrelle.

Sob a faceta Doug Willis lançou singles memoráveis como "Power To The People" que nos remete ao Som da Filadélfia. E ainda lançou neste ano o Ep chamado "Doug Style" com as musicassas "Music Speak Louder Than Words""Doug Be Good To Me". O cara realmente não para de trabalhar e isso faz muito bem para os ouvidos e para a alma!

 
 
 
 


Sérgio Scarpelli