03/09/2013

Romântico Incurável!

Depois do engajado "Wake Up", John Legend volta a cantar sobre o amor e se firma como o maior e melhor da nova geração da Soul Music.
 
 
 
 

O álbum "Love In The Future" é muito mais do que o 5º álbum deste artista completo que leva o nome de John Legend. Ele simplesmente coloca o artista como o melhor da sua geração em termos da Soul Music moderna. Ele é uma espécie de seguidor dos passos dados por Stevie Wonder há muito tempo.

Pela idade, pela formação e pelos amigos, John Legend podia ser daqueles caras que canta sobre suas conquistas amorosas, carrões que o dinheiro pode comprar e viver recheado de correntes de ouro. Mas ele quis fazer Soul Music e falar sobre amor. E o sucesso veio do mesmo jeito.

John Legend é hoje o maior representante desta vibe soul clássica. Coisa pra poucos porque ele consegue unir a qualidade sonora e qualidade comercial em tudo que faz. E continua um artista discreto, preferindo ternos bem cortados e de ótimo gosto, e lógico se apresentando sentado num piano.

Depois de respirar novos ares ao lado do The Roots no irregular álbum "Wake Up", John Legend volta às suas origens que é falar de amor. Ele é um romântico incurável e o que é melhor, jamais caiu na pieguice ou naquela música adocicada que dá até cárie. Sua música tem identidade e intensidade.

O álbum "Love In The Future" é bom demais. Mesmo não tendo uma "P.D.A."da vida, tem momentos realmente belíssimos. Como na parceria saborosa com Seal, ou na batida excêntrica e intensa de "Made To Love" (Veja o video http://t.co/E8XsTOOVhH). É realmente um álbum essencialmente classudo.

Aos 34 anos de idade, o sucesso de Legend é basicamente inabalável. Ele consegue fazer dinheiro sem entregar a alma. Como ele mesmo disse em recente entrevista que é muito bom poder revigorar a Soul Music clássica sem precisar apelar ao sexicismo. Mas falando de amor e sensualidade.

A produção de "Love In The Future" ficou a cargo dos serus parceiros velhos de guerra Kanye West e Dave Tozer  e soa como uam espécie de continuação dos seus dois primeiros álbuns Get Lifted (2004) e Once Again (2006). Ou seja, tem uma sonoridade e um apelo relevante. E faixas realmente sublimes.

Destaque 5 estrelas para a já citada "Made To Love". Ela consegue ser forte e delicada ao mesmo tempo. Outra maravilha é "Open Your Eyes" que fez me lembrar dos áureos tempos de Daryl Hall e John Oates. "Tomorrow" é linda de morrer também e carrega uma forte influência de Stevie Wonder.

Destaque também para "We Love It" num belo dueto com Seal, "Hold On Longer" que é uma senhora balada, "You & I" que tem cheiro de hit e a estonteante "Wanna Be Loved" que é a melhor faixa de "Love In The Future", pois tem uma musicalidade moderna sem perder a essência soul.

John Legend ainda não é lenda. Mas é craque. Altamente recomendado!

 
 
 
 



Sérgio Scarpelli