29/06/2012

De Volta A Disco

O cantor australiano Sam Sparro lança segundo álbum totalmente baseado no som Disco para acabar de vez com o estígma de One Hit Wonder.
 
 
 
 

O título já sugere escancaradamente o som que Sam Sparro escolheu para seu segundo álbum "Return To Paradise". O paraíso aí na verdade é a casa noturna Paradise Garage que brilhou nos anos 70 e começo dos anos 80 sob o comando do genial e saudoso DJ Larry Levan.

E porque não dizer que voltar ao paraíso para o australiano também é sair do inferno já que ele foi  incluído naquela listinha "One Hit Wonder", daqueles que só fizeram uma música de sucesso na vida. No caso a sublime "Black & Gold' que até em game da Fifa foi parar.

Acho que há um certo exagero em tudo já que Sam Sparro transita numa vertente de natureza mais underground que é a música eletrônica de pista e seu sucesso absurdo com "Black & Gold"deve ser encaradpo como um grande mérito do cantor australiano. Uma doce exceção.

E isso fica evidente em Paradise Garage porque o som que Sam Sparro faz aqui é declaradamente um som para um nicho e não para as massas. Ele buscou na música Disco sua inspiração. Seja aquela mais oroginal que se fazia nos anos 70 como a música de dança Pós-Disco.

Ou seja, nada indica que alguma faixa deste álbum chegue ao sucesso que foi "Back & Gold" e muita gente anda criticando demais este seu segundo álbum por tal fato. Sem qualquer pré-conceito eu ouvi "Return To Paradise" e gostei bastante do que ele fez.

Não é assim um álbum antológico mas tem faixas muito boas pra ouvir e dançar. Claro que tem outras descartáveis e mais fracas. Mas no seu primeiro álbum a história não foi diferente. Acho Sam Sparro ousado e seu vocal me agrada bastante. Suas raízes também.

Ele busca na velha escola do Soul e R&B sua inspiração, aindsa mais ao evocar um dos deuses negros nas pistas como foi Larry Levan. Sam Sparro estudou muito bem os sets mágicos do DJ e tentou reproduzí-los até certo ponto nas faixas de "Return To Paradise".

Destaque 5 estrelas para as faixas "Paradise People", "We Could Fly"e "Closer". São 3 grandes balanços com os dois pés no movimento do globo espelhado. São músicas feitas pra dançar com arranjos bem retrô mas sem jamais perder a noção que estamos em 2012.

Outras faixas bem bacanas são "I Wish I Never People", "Happiness", "Return To Paradise" que é uma baladona no melhor estilo Prince na época de Purple Rain e também a faixa "Let The Love In". Mesmo sem um hit como "Black & Gold", o álbum é melhor que o primeiro.

Recomendado!

Sérgio Scarpelli