14/02/2017

O Disco De Uma Era

Liderado pelos Bee Gees, o quarentão Saturday Night Fever representa não só o auge mas também o som da incrível Era Disco.
 
 
 
 

Quem viveu sabe, a Disco Music foi uma período mágico da Música. Talvez um dos mais ricos mas também um dos mais injustiçados. Onde não só grandes talentos surgiram, como também inovações na música que se mantém até hoje. Tipo DJ, Remix e por aí vai.

Claro que a Disco tem seu ícones como Donna Summer, Chic, Bee Gees, The Trammps e tantos outros, mas foi um movimento tão avassalador que até nomes como Rolling Stones, Queen, Chicago, Rod Stweart se aventuraram na vertente. Foi tudo muito forte e rápido.

Eu estava por perto. Mesmo ainda como um projeto de gente, frequentando as matinês aos sábados e domingos. Meu rádio só tocava este tipo de música (Grande Mike Nelson). Já era fã do Soul, do Funk, do som da Motown. Gostar de música Disco era mais que um caminho natural.

A Disco Music nasceu na Filadélfia. Nasceu como mais um som negro misturando o soul, jazz, funk e música latina. Até 1977 foi um movimento relativamente underground. Uma febre quase unicamente americana que teve como capital Nova Iorque e seu templo Studio 54.

 
 
 
 

Mas em 1977 foi lançado o filme Saturday Night Fever que fez a Disco Music dominar o mundo e fez de John Travolta e seu Tony Manero um ícone de toda uma era. Ao lado de Travolta, você tinha uma trilha sonora impecável que era personagem principal do filme também.

Foi uma trilha sonora que resumia muito bem o sentimento de toda uma época. E embora escrito e realizado principalmente pelo Bee Gees, o álbum apresenta um arranjo muito mais amplo, por muitos artistas diferentes, e que é um dos seus pontos fortes.

Sua popularidade foi tão grande quanto a do filme, e por muitos anos, manteve-se a trilha sonora mais vendida de todos os tempos .Superada só nos anos 90 por "Bodyguard".  Não é difícil perceber porque. Algumas das maiores canções Disco estavam neste álbum duplo antológico.

E o mais interessante de tudo é que o grupo Bee Gees que sem dúvida é o grupo Disco de maior sucesso na história, jamais antes esteve perto da vertente. Era um grupo de Pop/Rock romântico e bem meloso liderado pelos falsetes mágicos de Barry Gibb.

 
 
 
 

Temos em Saturday Night Fever 6 músicas dos Bee Gees. A emblemática "Stayn' Alive" que abria o filme com o andar único de Travolta. "Night Fever" que era a canção favorita da dança Hustle. "You Should Be Dancing" que além de ser a melhor música, embala o ápice do filme.

E ainda as românticas e lindíssimas "How Deep Is Your Love" e "More Than A Wonan" que além da versão mágica dos Bee Gees, é também interpretada de maneira sublime pelo grupo negro Tavares. Até hoje eu não sei definir qual é a melhor versão. Eu amo as duas de paixão.

Mas sem dúvida "Stayn'Alive" é um capítulo único nesta história. É a maior música Disco de todas. Uma música que marcou toda uma geração e que até hoje é imbatível numa pista. Ela tem uma levada Disco Funk tradicional e um impressionante Barry Gibb.

Mas além destas 6 músicas do Bee Gees, a trilha de "Saturday Night Fever" nos presenteava com o que existia de melhor na Era Disco. A Philly Soul que foi o movimento que deu origem a vertente estava ali representa magnificamente com The Trammps e MFSB.

 
 
 
 

Simplesmente é dessa trilha que temos a música "Disco Inferno" que é uma obra prima Black. São quase 9 minutos de deleite com os vocais precisos de Jimmy Ellis. Quem não se lembra daquele inesquecível  coral mandando bala no "Burn, Baby, Burn!" Antológica até o osso.

Ainda em termos do Som da Filadélfia temos neste disco simpelsmente outra obra prima, a música "K-Jee" da banda mãe do movimento MFSB. E como se não bastasse a trilha ainda traz Kool & The Gang em um momento célebre com "Open Sesame".

Outros destaques são "Manhattan Skyline" de David Shire, a versão disco de "A Quinta de Beethoven" de Walter Murphy que adiciona um monte de sabor extra para a trilha sonora.  "Boogie Shoes" da incrível banda KC & The Sunshine Band e a lindíssima "If I Can't Have You" de Yvonne Elliman.

Enfim o álbum Saturday Night Fever foi, e é tudo o que a Disco Music representa. Com o seu bem escolhido repertório variado de canções, que representa o epítome da época. É difícil descrever em palavras . Mas é uma trilha que tem groove, tem atitude, tem tudo.

É mais do que um álbum de um filme. É o som de uma era perdida, ao qual, quando se ouve de novo vai evocar belas memórias, tanto para aqueles que estavam lá para se divertir, quamto para aqueles que vieram depois mas que curtem boa música. A música antemporal.

 
 
 
 



Sérgio Scarpelli
SalvarSalvar