07/05/2012

Na Contramão da Sua História

Grande nome da cena eletrônica europeia, o coletivo alemão Jazzanova se rende a música orgânica e negra, e faz um álbum soberbo.
 
 
 
 

Já não é de hoje que o coletivo alemão Jazzanova vem namorando com a música negra e orgânica. Desde os seus primórdios como um seleto coletivo de DJs, o Jazzanova sempre temperou seus beats eletrônicos com música feita de verdade.

Desta vez sob o comando dos produtores Stefan Leisering e Axel Reinemer, eles entraram no estúdio com uma banda com 7 componentes e um cardápio variado de música black e gravaram simplesmente o soberbo álbum “Funkhaus Studio Sessions”. Talvez o melhor deles.

Na banda temos liderando os vocais o cantor negro Paul Randolph e ainda Arne Jansen na guitarra, Carl Michael Grabinger na bateria, Sebastian Studnitzky nos teclados, Sebastian Borkowski no sax , Stefan Ulrich no trombone e  Paul Kleber no baixo.

O repertório é conhecido em sua maioria. É quase que um álbum inteiro de regravações. Temos muitas faixas do "Off All The Things" por exemplo e até músicas da obra "Belle Et Fou". E lógico faixas inéditas que dão ainda mais brilho a tudo que a dupla alemã quis fazer aqui.

Na verdade o grande barato deste álbum é como as músicas foram gravadas. Como se fosse uma banda, com seu vocalista principal e uma cozinha notável. Isso é que diferencia e traz algo novo. Ainda mais partindo de um nome consagrado na cena eletrônica como o Jazzanova.

Segundo Stefan Leisering e Axel Reinemer a idéia do álbum nasceu depois de uma grande turnê do Jazzanova. A experiência foi tão rica que eles decidiram estender este momento para tornar sua música ainda mais tangível e humana e fazer algo inédito.

"Fomos para um estúdio antigo e histórico, usando uma engenharia de gravação antinga e começamos a tocar as músicas que aprendemos a amar em nossas turnês nos últimos três anos, bem como aquelas favoritas do público", completa Stefan Leisering.

As sessões de “Funkhaus Studio Sessions” foram gravadas no lendário estúdio da GDR Rundfunk Orchestra em Berlim Oriental. Ou seja, toda a modernidade que representa o Jazzanova na pujante Alemanha de hoje, se curvou ao clássico. Ao orgânico!

Este é aquele tipo de álbum pra ouvir de fio a pavio de tão bom que é. Mas claro que tem os detaques 5 estrelas como as estonteantes "Flashback", "I Human", "Believer e as regravações simplesmente notáveis de "Let Me Show Ya" (absurda)  e "Let it Go".

Já entra para a listinha dos melhores de 2012. Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli



Mais detalhes www.jazzanova.com/