20/05/2018

God Save The Queens

Num mundo cada vez mais globalizado, impressiona o dilema causado por Pablo Vittar no Brasil. Porque se tem uma coisa que não é novidade é Drag Queen.
 
 
 
 

Sylvester e a Era Disco.


Nos anos 70 eu ainda era um projeto de gente mas já um apaixonado por música negra. Não existia Youtube, Internet e outros facilitadores como hoje. O negócio era rádio e discos de vinil. E um dia no rádio ouvi uma música maravilhosa. Batida disco pesada, arranjo riquíssimo e um cantor esbanjando talento. Tratava-se de um tal de Sylvester e a música chama-se “You Make Me Feel”. Foi amor a primeira ouvida. Como era um adolescente só podia ir numa Discoteca nas matinês à tarde. E estou lá eu na saudosa Banana Power quando toca a tal “ You Make Me Feel”. Depois Sylvester faria outro hit chamado “Dance (Disco Heat)”. Naquele tempo, conseguir as coisas não era muito fácil, mas consegui o vinil do Sylvester e a figura dele era particular. Um cara diferente meio andrógeno. O meu universo era mais puro e não fiquei muito curioso para saber do que se tratava porque eu gostava mesmo da música. Acabei comprando outros álbuns do Sylvester e um era melhor que outro. Música negra da boa. Quando não era disco, era um Funk (o verdadeiro) bem tocado. Bem mais tarde fui descobrir que Sylvester na verdade era uma Drag Queen. Um homem gay que se vestia de mulher. E sabe o que mudou? Nada. Continuei fã do mesmo jeito. Nos anos 80 Sylvester ainda lançou “Someone Like You”, outra música fantástica mas logo depois contraiu AIDS e veio a falecer infelizmente.


 
   
 
RuPaul e os Anos 90


Em 1992 já não era mais animador de festinhas. Isso já tinha um nome, eu era DJ. E um dia chegou em minhas mãos um single maravilhoso chamado “House Of Love” de um tal de RuPaul. Não sabia quem era, já que muitas vezes o single em vinil vem sem foto. Só o selo com o nome do artista e a música. Lembro que o selo era pink e o som era realmente incrível. Fui atrás de mais coisas do RuPaul e descobri que estava apaixonado por outra Drag Queen. Só que essa bem mais produzida que Sylvester, até mais bonita, parecia mesmo um mulherão. E com um timbre de voz masculino. RuPaul Andre Charles é mais do que uma Drag Queen. É ator, modelo e ativista. Luta pelo empoderamento negro, empoderamento feminino, misoginia e política liberal. Mas voltando a música, seu primeiro álbum “ Supermodel Of World” é sensacional. Além de “House Of Love”, tem “ A "Shade Shady”, “Back To My Roots”, entre outras. E RuPaul ainda regravou com Elton John “ Don’t Go Break My Heart”. RuPaul hoje é considerado a Drag Queen mais bem sucedida de todos os tempos.


 
   
 
O Novo Talento Alex Newell


Ele canta como homem. Ele canta como mulher.  Se veste como homem. Se veste como mulher. E tanto um como outro dá um show. Tem um groove como poucos e é um cara que está despontando aí como um grande talento da música. Trata-se do cantor Alex Newell. Para muitos um desconhecido, ainda. Pois perambula pela cena underground da música. Mas já já faz aquele crossover para a grande massa. Ele é meu Drag Queen da vez. Lembro quando coloquei uma música dele do meu programa e não sabia como apresentá-lo. Como cantor? Como cantora? Como trans? Aí preferi contar a história toda. Porque ele é assim mesmo, andrógeno até o osso. Mas seu talento é algo de absurdo. Seu maior êxito até hoje foi ser chamado pelo produtor Nile Rodgers e pelo DJ Cassidy para fazer o tema da série Vynil da HBO, a música “Kill The Lights”, que me perdoem o trocadilho, é realmente matadora. Falta um álbum ainda para Alex Newell já que seu trabalho se resume a singles e Eps. Mas com esse talento logo logo deve estar estourando por aí. É um Dancing Queen legítimo!

 

Para sua seleção do Spotify:

RuPaul – House Of Love
RuPaul – A Shade Shady
RuPaul – Back To My Roots
RuPaul & Elton John – Don’t Go Breaking My Heart
RuPaul – Free Your Mind
Syslvester – Dance (Disco Heat)
Sylvester – You Make Me Feel
Sylvester – I Need You
Sylvester – All I Need
Sylvester – Someone Like You
Sylvester – Be With You
Sylvester – Call Me
Alex Newell & Dj Cassidy – Kill The Lights
Alex Newell – Devilish
Alex Newell – Shame
Alex Newell – Need Somebody


Sergio Scarpelli