06/02/2013

Não Tem Cara de Tiozão!

O veterano Charlie Wilson mostra em novo álbum que ainda está em plena forma e que a velha escola é a escola da Black Music.
 
 
 
 

Ele gosta de ser chamado de Uncle Charlie já que seus áureos tempos de Gap Band estão num passado bem distante. Mas ao ouvir "Love Charlie", a conclusão que eu cheguei é que Charlie Wilson está muito longe de ser um tiozão e que aquela vibe única do Gap Band ainda faz parte da sua alma.

Outra constatação filosófica é que a Velha Escola da música negra é a escola definitiva. Não há e não haverá preceitos mais ilustres, referências mais ricas, criatividade mais latente do que daquelas músicas e daqueles artistas que brilharam na vertente nos Anos 60, 70 e 80!

O álbum "Love Charlie" é antes de mais nada um álbum agradável e inspirado. E melhor que isso, é um álbum de Soul/R&B limpo. Não tem nenhuma incursão de Hip Hop ou aquela participação de rapper famoso em um trechinho da música para parecer jovial ou atingir os negros adolescentes.

A boa disposição de Charlie Wilson pra fazer este álbum foi enorme. Pra começar ele co-escreveu o CD inteiro junto com sua esposa Mahin e os colaboradores Wirlie Morris, Paran Michael e Carl M. Dias Jr. E a plena forma não para por aí. Uncle Charlie está cantando como nunca.

E como Charlie Wilson era a voz do Gap Band, seu vocal empresta mais autenticidade para o conteúdo e dá uma vantagem energética para todas as músicas. Ou seja, mesmo longe de seus irmãos e daquele frescor dos tempos em Tulsa, Charlie Wilson não deixa e nunca deixará de ser o Gap Band.

Para um homem que tem enfrentado uma vida de desafios pessoais e profissionais, Charlie Wilson continua respirando e cantando com a mesma energia de sempre com uma fé inabalável em si mesmo. Claro que rejuvenescido por uma garota de 18 anos que hoje é sua esposa

Charlie Wilson venceu as drogas, um câncer e uma longa depressão com o fim do Gap Band, e hoje é um  cara que ainda está no jogo mostrando um vigor e uma longevidade únicas. "Love Charlie" é exuberante extamente porque nasceu a partir de um homem que renasceu para a vida.

Destaque 5 estrelas para a faixa "My Baby" que é um pancadona moderna mas que carrega um certo espírito setentista principalmente nas guitarras. Simplesmente sensacional.Outra maravilha é a balada "My Love Is All I Have". Esta bem numa toada Old School (veja o video http://t.co/mrGRt4Ka)

Outros grandes momentos são as faixas "I Still Have You", "Show You", "Say", "Oooh Wee" e "Whisper" com a parceria de Keith Sweat. Enfim, enquanto tem muita gente aí que só não morreu porque ainda está viva, o queridão Uncle Charlie respira vida fazendo o que realmente nasceu pra fazer: cantar!

Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli