02/05/2015

Atacando de Cantor Volume 2

Jean Paul "Bluey"Maunick grava seu segundo álbum solo e dá um show de musicalidade e bom gosto.

 
 
 
 


Com quase quarenta anos na indústria da música como o líder e mestre da bem sucedida banda Incognito,  o produtor, músico e compositor Jean-Paul "Bluey" Maunick colocou o Jazz Funk no mapa internacional, aproveitando o movimento inglês do Acid Jazz como poucos.

Sempre dando prioridade a grandes vocalistas como Maysa Leak, Jocelyn Brown, Chaka Khan, Tony Momrelle, Imaani , Vanessa Hayes, entre outros, Bluey escondeu por muito tempo sua veia de vocalista. Mas isso acabou de vez em 2013 com o lançamento do álbum "Leap Of Faith".

Agora dois anos depois ele volta a atacar de cantor no excelente "Life Between The Notes". Um álbum bem superior ao primeiro de Bluey que me faz crer que ele se sentiu bem a vontade a frente de um microfone. Realmente ele dá um show aqui. É uma música melhor que a outra.

Bluey é tão gênio que a gente percebe em cada faixa que ele criou as músicas já pensando como sua voz pequena desse a sonoridade ideal. E tudo funciona muito bem. Arrisco a dizer até que "Life Between The Notes" é um álbum bem superior a "Amplified Soul", o mais recente do Incognito.

Na minha opinião este resultado se deve ao fato que Bluey como cantor é algo despretencioso, mais leve e mais livre. Não carrega um história de 35 anos de sucesso como o Incognito. E aí tudo fica mais gostoso, mais charmoso e sem aquela bigorna nas costas que é coimum em quem faz sucesso.

"Life Between The Notes" é delicioso do começo ao fim. Muitas músicas tem a cara do Incognito como não poderia deixar de ser. Mas outras faixas me remetem mais a Quincy Jones do que ao próprio Bluey. A faixa título por exemplo poderia muito bem estar num álbum como "The Dude" por exemplo.

E claro que ela é um dos destaques 5 estrelas do álbum. A letra é deliciosa. Quase auto-biográfica onde ele canta suas referências como Stevie Wonder, Marvin Gaye, James Brown. Fora que o arranjo instrumental é algo fora de série. Bluey sempre se cercou de grandes músicos em seus álbuns e aqui não é diferente.

Outra faixa sensacional é "Hold On". Pra mim a melhor do álbum sem dúvida. É uma música que foge totalmente do Incognito. É bem mais Funk que Jazz e é pesada para os padrões de Bluey."Tomorrow Never Lies" é Incognito na veia. penso em Maysa cantando esta música. Sensacional também.

Outros destaques são "Columbus Avenue" que se aproxima mais do trabalho que ele fez junto a Mario Biondi, ous eja bem jazzística. "Been There Before" é outra delicia de música que poderia fazer parte de qualquer álbum do Earth Wind & Fire. A canja de Philip Bailey não me deixa mentir.

"Saint And Sinners", "Trippin'On This Feeling ", "Poetry Of Life" e "More Than Getting By" são outras maravilhas do ealbum.Dizem que quem canta seus males espanta, e quando Bluey canta ele espanta qualquer indício de música ruim. Altamente recomendado e com estrelinhas.


Sérgio Scarpelli