23/10/2012

Maravilhosamente Retrô

"Still Life" bem que poderia ser um LP de vinil velho, todo empoeirado, lá dos anos 70 que você achou sem querer e agora não vive mais sem ele.
 
 
 
 

A cantora australiana Kylie Auldist acerta na mosca pela terceira vez com seu terceiro álbum solo chamado "Still Life" que é uma releitura poderosa do Funk e do Soul do final dos Anos 60 e inicio dos Anos 70, maravilhosamente adaptados para a era do Itunes, por mais cara de vinil que tenha..

A maioria do álbum evoca muito mais um estilão black de Holland-Dozier-Holland do que um hardcore da Stax, e o que isso significa? Significa um Funk e Soul bem menos cru e com algumas pitadas de Boogie. Ou seja, de assiimilacão mais fácil do grande público.

É louvável a tentativa da cantora australiana de sair finalmente da cena underground e colher mais frutos com sua música. Mas como se diz por aí, não precisa vender a alma pro diabo. E Kylie em nenhum momento faz isso. Continua na toada Funk de sempre, só um pouco mais soft.

Para isso Auldist conta com um parceiro velho de guerra e uma autoridade em termos de Funk moderno. A produção, co-autoria das faixas e guitarra fica por conta de Lance Ferguson, líder da banda Bamboos onde Kylie Auldist foi revelada. Reunião de brothers and sisters.

"Still Life" tem momentos simplesmente sensacionais e emociona em muitas vezes. Na faixa título, por exemplo. Kylie Auldist se entrega de corpo e alma, o tempo todo, através do seu vozeirão poderoso e sua Incrível técnica. Ela está cantando cada vez melhor.

Fora isso a producão de Lance Ferguson é realmente impecável. O álbum tem uma exuberância quase perturbadoramente otimista. A banda soa particularmente orquestral com direito até a uma seção de trompas. A guitarra de Fergusson oferece uma figura quase que percussiva.

E embora tenhamos até momentos claros de Funk/Disco, Kylie Auldist não perde sua aspereza natural. Ou seja, ela amadureceu o suficiente para querer chegar ao mainstream mas nem por isso perdeu sua essência e muito menos sua garra original. Kylie Auldist ainda é selvagem.

Destaque 5 estrelas para a faixa título "Still Life" que é algo de muito lindo produzido neste universo Soul. É até um pouco aflitivo perceber que este som é feito por australianos brancos lá de Melbourne e não por negros americanos de Memphis ou Detroit. Música linda!

"Changes"
é outra faixa espetacular. Totalmente arrebatadora através da fusão do Funk com Boogie. Pela primeira vez aparece sinais de música Disco no trabalho de Kylie Auldist e digo que ela devia seguir nesta vibe sem dúvida. "Changes" é uma das melhores do ano.

Outras faixas impecáveis e bem acima da média são "Daydream", "Letterhead Life", "All In You" e"Couting On You". Não é uma questão de consolo e nem comparação, mas quem ainda chora a perda de Amy Winehouse deve conhecer Kylie Auldist urgente!

Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli