20/09/2012

Plena Forma!

Literalmente mais leve, Angie Stone tem um retorno triunfal ao estilo que a consagrou com seu 6º álbum "Rich Girl".
 
 
 
 

Gosto da Angie Stone desde o tempo em que ela era conhecida por Angela e fazia parte do trio Vertical Hold. Grupo que que se dava ao luxo de ter como guitarrista Lenny Kravitz e Gerry DeVeaux como produtor. Isso aconteceu no comecinho dos anos 90 e durou apenas dois disquinhos valiosos.

Depois disso Angie Stone embarcou numa bem sucedida carreira solo adotando a Neo Soul como estilo. E acabou se tornando um dos nomes mais fortes da vertente. Afinal desde o começo ela sempre foi uma artista que dominou sua própria identidade. E domina até hoje.

Tanto que ela não teve dúvidas em transitar em outras facções da música negra como o R&B mais comercial dos últimos álbuns. Pagou caro por isso pois foram álbuns menores, mais irregulares e que não foram tão bem comercialmente o quanto se esperava. Mas longe de irem tão mal também.

Pois bem, visivelmente mais magra, Angie Stone parece ter colocado suas músicas na esteira enquanto corria também. Em seu novo álbum "Rich Girl", o 6º de sua vitoriosa carreira, ela traz um cardápio musical mais leve, mais alegre, resgatando a Neo Soul do início de carreira.

Isso quer dizer que as baladas do álbum não são melosas e o balanços vão mais por Funk e Soul setentista do que qualquer coisa. Para se ter uma idéia, a melhor música "Backup Plan"se dá ao direito de ter acordes de "Got To Be Real" de David Foster, eternizado pela diva Cheryl Lynn.

Outros destaques do álbum são as faixas "Do What U Gotta Do", "U Let My Fire", "Rich Girl",  "I Can't Take It", "Livin It Up" e "Right IN Front Of Me". Enfim, mais um belo trabalho desta cantora simplesmente divina agora em plena forma em todos os sentidos. Um retorno triunfal!  Recomendado!


Sérgio Scarpelli