29/11/2011

Organicamente Eletrônico

O músico e produtor neozelandês Mark De Clive-Lowe estréía na gravadora Tru Toughts com o pé direito e faz o melhor álbum da carreira.
 
 
 
 

Já não é de hoje que a Australia e Nova Zelândia vem sendo um excelente celeiro de talentos principalmente para a gravadora Tru Toughts. Mas estava faltando um em especial, o Dj, músico, produtor e compositor Mark De Clive-Lowe que agora lança o primeiro álbum pela gravadora.

E a estréía não podia ser melhor. Sem dúvida "Renegades" é o melhor álbum de toda carreira de Mark De Clive-Lowe. Um cara pra lá de talentoso que já fez maravilhas neste cenário eletrônico que tem a música negra como base. Mas nunca tantas num álbum só como em "Renegades".

Radicado em Los Angeles, este neozelandês aborda a música sempre de um jeito fascinante. Ele mistura gêneros e estilos de uma maneira natural. E usa a eletrônica a serviço da boa música. Tanto que eu defino este álbum "Renegades" como organicamente eletrônico.

Como ele mesmo diz: "Minha intenção com este tipo de produção é o balanceamento da programação eletrônica  com musicalidade orgânica e viva. Eu amo esta coisa de você não saber qual é qual." E "Renegades" abusa disso. Fora que é um álbum altamente inspirado e inspirador.

A influência básica de Mark De Clive-Lowe é a música negra, mas especificamente a Soul Music. A partir dela ele tempera seus sons com funk, afrobeat, música latina e música eletrônica. No final o resultado é sempre o mesmo, música muito boa para os nossos ouvidos.

Em "Renegades" ele conta com convidados de peso como Ovasoul 7, o cantor soul inglês Omar, a percussionista Sheila E e as magnifícas cantoras Nia Andrews, Sandra Nkake, Bembe Sengue e Tawiah. Ou seja, músicas de primeira interpretadas por gente de primeira.

Como disse antes "Renegades" está repelto de músicas realmente boas. A começar por "The Why" com Nia Andrews. É uma Soul Music moderna como todas as soul musics modernas gostariam de ser. Pegada eletrônica mas cheia de alma e melodia. Nia é fantástica aqui.

Outra maravilha do álbum, também interpretada por Nia Andrews, é "Emergency". Realmente um musicão que tem influências claras de Stevie Wonder. Fora que Nia canta quase que descompassadamente dando um charme violento ao som. Erikah Badu devia ouvir isso.

Mais um destaque 5 estrelas é "Get Started". Batidão com Omar arrebentando tudo nos vocais e a participação valiosa da princeniana Sheila E. A faixa "Everything" com Ovasoul7 é também outra Soul Music na essência exalando modernidade por todos os poros.

Grata supresa de final de ano! Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli



Conheça as faixas: www.markdeclivelowe.net