10/11/2008

Earth Wind & Fire – I am

Um Earth Wind & Fire para ouvir de novo.

 
   
 
Na minha opinião, este é o melhor disco do Earth Wind & Fire e um dos 10 melhores que eu já ouvi na vida. Fora isso, "I am" representa o auge do grupo não só em termos de sucesso como também de criatividade.

É um álbum que parece até um "The Best of" tamanho o número de hits que tem. É um Earth Wind & Fire em plena forma.

Para quem não sabe, o Earth Wind & Fire foi criado em 1969 em Chicago pelos irmãos Maurice e Verdine White. Maurice era o cabeça da turma. Além de bateirista, compunha e era um exímio vocalista.

Junto com Verdine e seu baixo, o grupo conseguiu com muito sucesso ao incorporar o estilo Funk com as melhores influências do Jazz, Soul, Gospel, Pop, Rock&Roll, Blues, Folk e Disco Music, além de elementos da música africana. 

E aí foi pedrada atrás de pedrada: "Shining Star", "Reasons", "That´s the way of the World", "Singasong", "Getaway", "Fantasy", "September" e por aí vai.

Até que em 1979, no auge da Disco, lançaram seu nono álbum intitulado "I am". Nele simplesmente continham duas músicas que simplesmente se tornariam os maiores hits da banda.

A balada "After the love has gone" que invadiu as paradas e rádios do mundo inteiro e que depois seria intensamente copiada. Ela meio que foi um divisor de águas no mundo das baladas românticas.

E outro hit era simplesmente "Boogie Wonderland" com participação do grupo "Emotions". Sim, ela mesmo. Um groove absolutamente perfeito em termos de arranjos, letra e vocais. "Boogie Wonderland" era aquele tipo de música obrigatória em qualquer Disco ou festinha da época.

Mas "I am" ainda reservava músicas absolutamente fantásticas. Como por exemplo "In the Stone" que abria o disco com todas as honras. Um início pomposo anunciava uma quebradeira totalmente irresistível.

Pra mim, é a melhor faixa e uma das melhores da banda. Se tornou hit também.

E ainda tinha "Can't let go". Fantástica e frenética. Um groove que já começava a toda e não dava descanso em nenhum momento. Outro hit...

Além das freqüentadoras de paradas, ainda tinha um punhado de música boa que na época chamávamos de lado B. Como por exemplo "Star". Introdução belíssima como se fosse outra baladona, mas aí para nossa supresa ela descambava num balanço delicioso. Os vocais de Philip Bailey conferiram a música uma identidade vocal única. Esse era o terceiro elemento gênio da banda.

Citei 5 das nove faixas do disco. Pra você ter uma idéia do que ele foi e do que ainda ele é. Vale a pena cada minuto. E não dá pra deixar de ouvir.

Só para terminar em 2000, o Earth Wind & Fire foi incluído no Hall da Fama do Rock & Roll e em 2003, no Hollywood's Rock Walk pelos inegáveis serviços prestados a música de qualidade.

"I am" é a maior prova disso.

Sérgio Scarpelli