06/11/2008

Brown’s Bag – Soul Satisfied

Brown’s Bag. Black music em estado de graça

 
 
 
 
Se eu fosse usar todos os adjetivos que gostaria para definir o álbum "Soul Satisfied" de Brown's Bag, iria fazer um texto só com eles. É brincadeira gente! O que este disco é bom, não tá escrito.

Lembrou-me o tempo que eu escutava os discos novos de Luther Vandross ou Teddy Pendergrass, tamanha a satisfação. Realmente Brown's Bag resgata o melhor que a soul music já nos proporcionou. Não tem nada a ver com estes acordes retrôs modernos que rolam por aí. É uma soul mais old school. Nos moldes mesmo de Luther e Teddy.

O Brown's Bag na verdade é um dueto formado por Ward Brown e seu amigo Sherrod Brown. E neste "Soul Satisfied" ele arrasam. A cada faixa uma emoção nova, tamanho o capricho e a paixão que eles colocaram neste disco. Paixão em cada nota, em cada palavra, em cada respiração. Eles seduzem seus ouvintes pelo coração e pela mente. Não tem apelos da modinha. Tudo é realmente caloroso, suave e muito bem produzido.

Os vocais de Ward são um capítulo a parte. É a velha escola ditando as regras. Você realmente sente que está diante de um Deus da voz.

Ele expressa em cada acorde todo o sentimento do que está sendo dito. Lembra muito os tempos áureos do Temptations ou Harold Melvin & The Blue Notes. Mas mesmo com todo teor saudosista nada aqui é velho. Muito pelo contrário, a produção é impecável em todos os detalhes. É moderna e orgânica.

Destaque aqui entre as faixas é difícil, pois o álbum é bom do primeiro ao último minuto. Como disse, é black music em estado de graça. Então vou compilar as faixas mais extraordinárias como a que abre o disco "You Touched My Heart". Uma semi-balada de arrepiar no melhor estilo Al Jareau. Outra faixa sensacional é o groove "No More Love". Isso aqui é mosca branca. Um balanço que rola solto. "Things You Say" é  difícil de definir. Vamos dizer que é o Luther Vandross cantando uma música de Brand New Heavies. Mais ou menos por aí. "Toss n Turn" é a melhor faixa.

A mais melódica e que consegue ao mesmo tempo ser super contemporânea e nos remeter a soul music do começo dos anos 80.

Linda de morrer!!!

Essse disco é meio difícil de achar, mas garanto que qualquer trabalho que der para encontrá-lo valerá a pena. É o melhor CD que eu ouvi em 2008.

Sérgio Scarpelli


20/05/2008 14:16:20