10/11/2008

Leigh Jones – Music in my soul

Leigh Jones. Mais uma loira na soul music.

 
 
 
 
Olhando a foto de Leigh Jones ela parece uma americana comum. Daquelas loiras bonitonas que brotam toda hora na California. E quando te contam que ela canta, você logo faz uma associação com cantoras pop do tipo Christina Aguilera. Para nossa sorte é só fachada. Contrariando seu próprio esteriótipo, Leigh Jones é uma tremenda cantora, soprana, que tem muito mais a ver com Tony Braxton ou Gladys Knight.

Tanto que ela vem arrancando suspiros de ninguém menos do que o senhor Motown, Berry Gordy Jr. E com toda justiça. Em seu álbum de estréia "Music in My Soul", Leigh evoca o melhor da soul music. Ou seja, aquela que flerta com o jazz quase o tempo todo. É um album calminho, digno de uma diva. Claro que tem faixas com influências deste R&B mais comercial. Mas é muito pouco e quase imperceptível.

Leigh Jones contou com produtores velhos de guerra que conhecem todos os atalhos para se fazer um disco bom e de sucesso. São eles Walter Afanasieff, Clark Anderson e o grande compositor Bruce Fisher que fez nada menos que "You are so Beautiful" para Billy Preston.

Leigh mostra precisão e segurança em suas interpretações e quase sempre dá um espetáculo com sua bela e forte voz. "Music in My Soul" é um album inspirador, autêntico e um dos melhores lançados neste ano. Ela faz um soul verdadeiro sem se apegar em modinhas.

Falando sobre as músicas a média é muito alta em termos de qualidade. O single "Free Fall" que já vem sendo executado tem cara de hit. É a mais comercial delas com fortes influências do R&B. Diria que é a faixa mais pop e mesmo assim é acima da média. Outra faixa que chama atenção é o remake do hit "All this Love" do grupo De Barge. O arranjo ficou bem interessante e tem também esta levada mais pop.

O resto meus amigos é de cair o queixo. "Cold in LA" é fantástica. A melhor do álbum. Tem uma levada soul deliciosa onde Leigh esbanja classe e talento. "Have it your way" é uma das baladas mais lindas que eu ouvi nos últimos tempos. Lembrou-me os áureos tempos de Gladys Knight. "Sick of Fools" e "Same Game" são também calminhas com fortes influências jazzísticas. Lindas de morrer. "Can't get enough of your love" é a mais animadinha e revela que no soul tradicional Leigh também arrasa.

Enfim, mais uma loira em minha vida daqui pra frente.

Sérgio Scarpelli

04/09/2008 02:05:38