22/07/2011

Totalmente Diva

Com mais de 30 anos de carreira e uma voz poderosa, Chaka Khan é sem dúvida uma das maiores divas da música negra de todos os tempos.
 
 
 
 

Em 23 de março de 1953 nascia Yvette Marie Stevens. Um bebê que parecia normal como qualquer outro. Mas só parecia. Aquela menina tinha recebido um presente divino que mais tarde seria conhecido e reconhecido pelo mundo inteiro através do nome Chaka Khan.

Chaka Khan é daquelas cantoras que se dão ao luxo de estar acima do bem e do mal. Mesmo com uma carreira irregular em termos comerciais, mesmo as vezes não tão inpsirada, ela sempre foi endeusada pelo público e pela crítica especializada. Ela é diva e ponto final.

Chaka Khan cresceu numa familia de músicos. Sua paixão pelo R&B comecou na adolescência e ela logo tratou de formar seu próprio grupo chamado Crystalettes. Mais tarde ela e sua irmã Taka Boom formaram outro grupo chamado Shades of Black.

Foi nesta época que nasceu o nome Chaka Khan graças a sua participação no Partido Panteras Negras que defendia os direitos dos negros americanos. Ela foi rebatizada como Chaka Adunne Aduffe Hodarhi Karifi. Mais tarde adotou o sobrenome do marido, o baixista Hassan Khan.

Chaka Khan abandonou o partido radical e se concentrou em sua carreira musical. E foi aos 19 anos que conheceu o bateirista Andre Fischer e toda a turma da banda  Rufus que decidiu colocar Chaka Khan no lugar de Paulette McWilliams como Lead Singer da banda.

A Fase Rufus & Chaka Khan

 
 
 
 

De 1973 a 1979 Chaka Khan conheceu o sucesso fazendo parte da banda Rufus. Principalmente depois de ter gravado o hit "Tell Me Something Good" do gênio Stevie Wonder em 1974. Além do sucesso comercial, Chaka Khan recebeu um Grammy pela música.

Foi a primeira das 11 estatuetas que ela recebeu ao longo de toda sua carreira. Com a banda Rufus,  Chaka Khan fez maravilhas como "Once You Get Started", "Sweet Thing", "Hollywood", "Ain't Nobody", "Masterjam", "Do You Love What You Feel", entre outras.

A banda Rufus ganhou grande notoriedade com sua estrela máxima Chaka Khan. Não só pela sua voz poderosa, nem por seu talento também para compor, é que na época a diva negra tinha um belo corpo e mostrava todos seus dotes nos shows ao vivo.

Fora que além de cantar, Chaka Khan se mostrava um tremenda instrumentista também tocando bateria, percussão e baixo. E levava realmente o público a loucura. Mas as brigas com André Fischer e um contrato solo assinado com a Warner em 1978 estremeceu a parceria.

Mas mesmo depois de uma carreira solo bem estabelecida em 1978, Chaka Khan voltaria a gravar com Rufus em 1979 num álbum produzido por Quincy Jones chamado "Masterjam" em que a diva teve momentos incríveis principalmente cantando ao lado do seu amigo Tony Maiden.

Chaka Khan voltaria a colaborar com Rufus em 1983 com o single "Ain't Nobody". Detalhe é que Quincy Jones havia pedido a música para o compositor David Wolinsky para fazer parte de "Thriller". Mas Wolinsky já a havia prometido para Russ Titelman que liderava o Rufus na época,

Um Divisor de águas chamado "I'm Every Woman"


 
 
 
 

A carreira solo de Chaka Khan teve um "Grand Opening". Simplesmente o megahit  "I'm Every Woman" composta pelo casal Ashford & Simpson e que fez parte do seu primeiro álbum solo "Chaka" lançado pela Warner Bros Records em 1978.

Além de ser a melhor música de Chaka Khan e ser um single de mais de 1 milhão de cópias, "I'm Every Woman" é uma das mais belas músicas negras já feitas em todos os tempos. É uma música perfeita seja na sua letra, na sua melodia ou no seu arranjo.

A versão de Chaka Khan lançada em 1978 é tão definitiva e tão atemporal que está aí tocando há mais de 30 anos sem precisar de remixes ou recursos modernosos. Coloco sem dúvida "I'm Every Woman" na lista das 10 melhores músicas negras já feitas até hoje.

E ela não parou por aí. Em 1980 lançou seu segundo álbum solo chamado "Naughty". Um álbum também muito inspirado que simplesmente trazia a obra prima "Clouds", além do hit "Papillon (aka Hot Butterfky)" e da própria faixa título que é uma bela peça de Soul Music.

Em 1981 Chaka Khan gravou o álbum "What Cha' Gonna Do For Me". Apesar de não ser um sucesso retumbante trata-se de um dos melhores álbuns solos gravados por Chaka. Músicas como "Fate", "Heed The Warning" e" What Cha' Gonna Di For Me" são antológicas.

Em 1983, Chaka Khan lança seu ótimo quarto álbum que levava apenas o seu nome. No álbum temos o cover maravilhoso de um sucesso de Michael Jackson ainda criança "Got To Be There". A versão de Chaka Khan é a definitiva na minha opinião.

Mais uma virada com "I Feel For You"

 
 
 
 

Em 1984 Chaka Khan conheceu seu maior sucesso comercial até hoje com o álbum multiplatinado "I Feel For You". Impulsionado pela faixa título que é o maior hit de Khan, o álbum ainda trazia faixas memoráveis como "Through The Fire" , "This is My Night", "Eye to Eye", entre outras

Mas é lógico que a faixa  "I Feel For You" foi um capítulo a parte. Música composta por Prince, com direito a participação de Stevie Wonder na harmônica e do lendário Grandmaster Melle Mel fazendo as honras  com seu famoso rap intro "Ch-ch-ch-chaka-chaka-chaka-kahn".

Foi mais uma vez que Chaka Khan se deu ao luxo de fazer um cover e ter na sua versão uma música muito superior a original. "I Feel For You" liderou todas os charts americanos e mundiais em 1984. E foi o crossover definitivo da diva negra que se tornou Ídolo Pop.

Depois disso veio uma leva de álbuns menos inspirados e irregulares da diva negra. Até que em 1992 ela tratou de mostrar toda a estrela que era ao lançar " The Woman I Am" que trazia a incrível "Love You All My Lifetime" entre outras belas composições da diva.

Ainda nos anos 90 Chaka Khan lançou o belo single "Never Miss The Water" com a talentosa baixista e cantora Me'Shell Ndegeocello. E teve participações magistrais no álbum "Back On The Block" de Quincy Jones e em "Jazzmatazz" do Guru.

Diva com D Maiúsculo


 
 
 
 

Dos ano 90 para cá Chaka Khan tem tido uma carreira discográfica bem irregular. Teve como pontos altos o álbum de jazz "ClassiKhan" lancado em 2004 e o álbum "Funk This" onde ela retomou seu sucesso como cantora pop levando dois Grammys pelo álbum.

Mas Chaka Khan é um estrela e por tudo o que ela já contribuiu para a música ela é daquele tipo que não precisa fazer mais nada. Só que seu talento é tão grande que não me surpreenderia em nada se ela lançasse algo absurdo de uma hora pra outra.

Por mais que a mídia tenha vulgarizado o termo "Diva" dando este título para estrelas menores e sem talento, Chaka Khan é daquela linhagem das divas puras que não precisa provar mais nada a ninguém. Seu talento é único, sua voz é única...não vai nascer outra igual.


Sérgio Scarpelli