15/07/2011

Joss "Indie" Stone

Com a parceria do produtor Dave Stweart e selo prórpio, cantora inglesa aposta no estilo Indie e lança seu novo álbum "LP 1".
 
 
 
 

Era de se esperar que a cantora inglesa Joss Stone desse uma bela repaginada na sua carreira depois do apagado último álbum "Colour Me Free!" de 2009. Mais do que falta de inspiração o álbum sugeria falta de direção para a a carreira da bela inglesinha de apenas 24 anos.

Joss Stone apareceu com apenas 16 anos cantando velhos clássicos da Soul Music e causou furor tamanho seu talento. Como alguém daquele idade poderia ter aquela voz e aquela técnica impecável interpretando músicas  eternizadas por cantores negros? Ela representava o futuro.

E realmente Joss Stone não decepcionou. Cantando Soul Music que não é lá um dos gêneros da massa, ela conquistou seu público, conseguiu atravessar o Atlântico e fazer sucesso nos Estados Unidos, e ainda com 11 milhões de álbuns vendidos nas costas.

Mas com o andar da carruagem Joss Stone perdeu sua originalidade principalmente depois do álbum "Introducing Joss Stone" com apelo Pop e rasgadas influências do R&B americano. Ou seja, aquela lorinha que era fã de Betty Wright e cantava de um jeito único já não existia mais.

Joss Stone caiu na mesmice dela própria e mesmo com um imenso talento, juventude e potencial se viu naquela armadilha em que os artistas de meia idade geralmente caem. Mas ela tomou providências. E o primeiro passo foi deixar a EMI e lançar seu selo próprio selo Stone'd Records.

Depois convidou Dave Stweart (Eurythmics) para produzir seu próximo álbum e apostou no gênero Indie. Confesso que não sou lá muito fã de música Indie mas reconheço que a vertente trouxe qualidade e originalidade para a música Pop de alguma forma.

E "LP1" é um bom álbum. Não chega nem ao pés de "21" de Adele, mas segue os mesmos passos. Temos uma Joss Stone bem mais a vontade e tentando realmente se reiventar e parecer mais madura. E o melhor, em algumas faixas temos realmente ótimos momentos de boa música.

A música "Karma" é realmente algo de muito bom e que resgata o melhor de Joss Stone. Mesmo com guitarras pesadas, a influência black aqui é marcante. "Don't Start Lying To Me Now" é outra musicassa. Uma Soul Music mais clássica de tirar o fôlego. E com produção impecável.

Outros destaque fantástico é a faixa "Somehow". Também explora as raízes da música negra e tem um coral gospel delicioso. E Joss Stone manda realmente muito bem nos vocais. Estas 3 músicas por exemplo já são totalmente superiores de tudo o que Joss Stone fez depois de 2004.

Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli