26/11/2008

20 Anos de Soul II Soul

Em 1988 nascia na Inglaterra o grupo que revolucionou a Black Music.
 
 
 
 
Por Sérgio Scarpelli

O cenário era o final dos anos 80. O universo Dance estava contaminado pelo Acid House e as Raves. Tudo muito pulsante e ensurdecedor. Drogas alucinógenas, beats elevados, psicodelia e adrenalina lá em cima.

Até que um músico chamado Jazzie B do “Funki Dred Sessions” desacelerou tudo ao máximo. Cadenciou o ritmo recuperando a Soul Music tão relegada naquela época. Mesmo sem saber, estava instaurada ali uma revolução não só no cenário da Dance e Black Music, mas de toda música em geral. Nascia o fenômeno Soul II Soul.

E tudo começou com Fairplay

Muitos atrelam o início do Soul II Soul com os megahits lançados em 1989 como “Keep on Movin” e “Back to Life”. Mas foi o funkão “Fairplay” com vocais de Rose Windross que marcou a estréia do grupo em 88.
 
A formação original era composta pelo produtor, cantor, compositor e DJ, Jazzie B, pelo instrumentalista Phillip "Daddae" Harvey, e pelo produtor Nelle Hooper, membro fundador do Wild Bunch que, alguns anos mais tarde viria a ser colaborador regular dos Massive Attack.

O Soul II Soul começou na Ten Records, uma subsidiária da Virgin, para a qual editaram os singles "Fairplay" e "Feel Free". A sua popularidade começou assim a crescer, também com a ajuda da então rádio pirata Kiss-FM . Jazzie conseguiu a química perfeita misturando elementos que iam do Dub, Soul ao Hip Hop, fazendo um trabalho criativo do começo ao fim, e bastante revolucionário.

Club Classics Vol I

O primeiro álbum lançado pelo Soul II Soul foi Club Classics Vol I. É um disco daqueles pra sempre. Editado em 1989 com músicas como "Keep On Movin'" e "Back to Life"  com vocais de Caron Wheeler, é um álbum moderno até hoje. É incontável o número de faixas que foram produzidas usando como base a instrumentação chique e soulfull criada por este disco.

O Soul II Soul começou a dar cartas, tanto no Reino Unido, como nos Estados Unidos. A Black Music e a música Pop como um todo começavam a beber muito desta fonte. Até as braquelas Sinead O'Connor e Suzane Vega foram no embalo pra ter uma idéia.

O êxito do Soul II Soul consolidou-se com "Vol. II, A New Decade" lançado em 1990 e que também chegou ao primeiro lugar na Inglaterra. Jazzie B era um dos produtores  mais requisitados na época. Além de Sinead, Fine Young Cannibals , Neneh Cherry e até o mestre James Brown foram produzidos por ele.

A New Decade teve a cantora  Kym Mazelle no lugar de Caron Wheeler, que se lançou em carreira solo, e ficou muito aquém do impacto causado pelo anterior. Mesmo assim foi sucesso e Jazzie B abriu sua editora Funki Dred, apoiada pela Motown Records.

Em 1992 surgia o "Vol. III: Just Right", um disco belíssimo, sem grandes hits, mas com uma carga intensa de boa música. A maravilhosa faixa "Move Me No Mountain" é deste álbum. Chegou ao terceiro lugar das paradas britânicas merecidamente.

Três anos depois Caron Wheeler voltava ao grupo no álbum “Believe Vol.V” Mas foi com o single "Love Enough", com a voz da ex-Snap!, Penny Ford que o Soul II Soul fez um certo barulho naquele ano.

Conforme a década  foi passando, o Soul II Soul foi perdendo o fôlego. Muito porque a fórmula de sucesso inventada por Jazzie B  também foi seu maior algoz. Foi tão usada, mas tão usada, que caiu na mesmice. Até sua gravadora Virgin dispensou os caras.

Eles ainda tentaram dar uma guinada com a banda em 1997 com o álbum "Time For Change" editado em 1997 pela Island Records. Mas o disco era fraco e não tinha nem cheiro do Soul II Soul vigoroso de anos atrás. Foi o ponto final da banda. Uma pena.