05/11/2008

Um ano sem James Brown

Dia 25 faz um ano que o pai do funk deixou o mundo mais triste e a música mais pobre.

 
 
 
 
2007 começou mais triste. Pelo menos para nós que vivemos aqui na Terra. Porque lá no Céu (ou será o inferno?) a festa não tem hora pra terminar. E que festa! Com direito ao maior funkeiro do mundo. O pai de todos. O cara que balançou multidões com sua irreverência e o ritmo que ele mesmo inventou. O funk que faz suar. Que balança o corpo e estremece a alma. James Brown se foi  em pleno Natal mas deixou aqui seus órfãos orgulhosos por tudo que ele fez. Sinto-me feliz por ter sido seu contemporâneo. Por ter acompanhado sua carreira, ter sofrido com suas prisões, por ter dado gargalhadas daquele seu cabelo e daquelas roupas nada usuais.

James Brown nasceu em 3 de maio de 1933 na Carolina do Sul, durante a Grande Depressão. É com absoluta certeza uma das principais influências musicais dos últimos 50 anos. Emplacou mais de 100 sucessos. Vendeu mais de 500 milhões. Gravou mais de 50 álbuns. Todos seus álbuns entre 1960 e 1977 estiveram entre os 100 principais sucessos do ano.

Brown teve um começo de vida difícil. Cresceu num bordel. Com apenas 16 anos foi condenado a passar três anos em um reformatório por roubo de carros. Foi boxeador. Depois se juntou com Bobby Byrd e formou a banda gospel "The Famous Flames". E a partir daí sua vida artística, graças a Deus, se firmou.

Assinou com a King Records de Cincinnati, e apenas quatro meses depois a música "Please, Please, Please" tornou-se hit.

Depois simplesmente viriam músicas como "Papa's Got a Brand New Bag", "I Got You (I Feel Good)", "Get Up (I Feel Like Being a Sex Machine)" e "I'm Black and I'm Proud". Só isso gente!!!

Apesar de seu enome talento para música, James Brown nunca foi exemplo de conduta. Se envolvia direto com drogas, álcool, violência doméstica e problemas com a Justiça eram extremamente frequentes. Pra falar a verdade tenho dúvidas de que se Brown fosse uma pessoa mais certinha, ele iria brilhar tanto quanto brilhou. E olha que o cara ao mesmo tempo que se envolvia nestas paradas, ele foi uma das figuras de destaque na luta pelos direitos civis nos anos 50 e 60. Também estava envolvido com diversas causas beneficentes. Quis até o destino que sua última aparição fosse num Hospital que ele ajudava financeiramente.

Outro dia estava ouvindo um disco menos conhecido de Brown onde ele flertava com o Jazz pude mais uma vez comprovar de que mais que um cantor, mais que uma figura mítica, o pai do funk era um gênio da música. Ele fez mais do que criar uma sonoridade e uma identidade para divulgar seu trabalho. James Brown criou James Brown. Uma espécie de parâmetro para que futuras gerações pudessem usufruir daquilo que ele havia feito. Está aí Michael Jackson, Prince e até Mick Jagger que não me deixam mentir. Está aí o hip hop, o r&b, que nasceu a partir das criações do menino de Augusta. Um amigo meu me disse uma verdade. Daqui a 100 anos quando forem ensinar música, além dos Mozarts da vida, terão aulas sobre Beatles, Stones e claro sobre Mr Brown com sua música intensa, sexual, instintiva e dançante.

O funk em pessoa faz muita falta. Tem seu legado. Tem suas gravações. Mas dói saber que aquele coração não tá batendo mais. Que aquele cabelo inacreditável não está sendo mais escovado. Que aquelas roupas acetinadas e extravagantes vão virar peça de museu.

Como ele mesmo dizia estar 25 anos a frente do seu tempo, acho que James Brown deve ter descoberto algum lugar melhor do que a Terra para viver. Enfim, desde 25 de dezembro de 2006 o gênio do funk, o padrinho do soul, o mestre do groove, não está aqui mais nesse lugar tedioso que é o mundo sem ele.

Discografia de James Brown



1959 Try Me!
1959 Please Please Please
1960 Think
1961 James Browns Presents His Band
1961 The Amazing James Brown
1961 Night Train
1962 Shout & Shimmy
1962 Tours the U.S.A.
1962 Jump Around
1963 Live at the Apollo (1963)
1963 Prisoner of Love
1964 Pure Dynamite! Live at the Royal
1964 Showtime
1964 Out of Sight
1964 Grits & Soul
1965 Papa's Got a Brand New Bag
1965 James Brown Plays James Brown
1965 Papa's Got a Brand New Bag
1965 I Got You (I Feel Good)
1966 James Brown Plays New Breed
1966 It's a Man's Man's Man's World
1966 Handful of Soul
1966 Mighty Instrumentals
1966 James Brown Sings Christmas Songs
1967 Sings Raw Soul
1967 Live at the Garden
1967 James Brown Plays the Real Thing
1967 Cold Sweat
1968 I Can't Stand Myself When You Touch Me
1968 I Got the Feelin'
1968 James Brown Plays Nothing But Soul
1968 Live at the Apollo (1968)
1968 James Brown Sings out of Sight
1968 James Brown Presents His Show of Tomorrow
1968 Soul Party
1968 A Soulful Christmas
1968 A Thinking About Little Willie
1969 Say It Loud, I'm Black and I'm Proud
1969 Gettin' Down to It
1969 It's a Mother
1969 The Popcorn
1969 Plays Rhythm & Blues
1969 Excitement
1970 Ain't It Funky
1970 Soul on Top
1970 It's a New Day -- So Let a Man Come In
1970 Sex Machine (live)
1970 Hey America
1971 She Is Funky Down Here
1971 Hot Pants
1971 Revolution of the Mind (live)
1971 Super Bad (live)
1971 Soul Brother No. 1
1972 There It Is
1972 Get on the Good Foot
1973 Black Caesar
1973 Slaughter's Big Rip-Off
1973 The Payback
1974 Hell
1974 Reality
1975 Sex Machine Today
1975 Everybody's Doin' the Hustle
1976 Get up Offa That Thing (1976)
1976 Bodyheat
1976 Hot
1977 Mutha's Nature
1977 Strangers
1978 Jam/1980's
1978 Take a Look at Those Cakes
1979 The Original Disco Man
1979 Mister Dynamite
1980 People
1980 Hot on the One (live)
1980 Soul Syndrome
1981 Nonstop!
1981 The Third Coming
1981 Live in New York
1981 Special
1982 Mean on the Scene (live)
1983 Bring It On!
1985 Live in Concert
1986 Gravity
1988 I'm Real
1991 Love Over-Due
1992 Universal James
1995 Live at the Apollo 1995
1998 I'm Back
1999 The Merry Christmas Album
2001 Get up Offa That Thing (2001) (live)
2002 Super Bad - Live
2002 Startime Live
2002 In Concert (live)

13/12/2007 21:17:28