10/11/2008

Conheça um pouco mais sobre Esperanza Spalding.

revista Esperanza

 
 
 
 
Ela está no Brasil para apresentações no TIM Festival. Ela é considerada um dos prodígios do Jazz. Canta como uma Diva. E encanta também no seu contra-baixo. Linda, simpática e altamente talentosa Esperanza Spalding é o que podemos chamar de uma artista completa. Aqui você acompanha um resumo de uma entrevista que ela concedeu a New Soul Magazine.

Nu-Soul: Compare o seu novo álbum "Esperanza" com o seu álbum anterior. O que mudou e o que permaneceu?
Esperanza: Bem, estes dois discos são completamente diferentes. O que quero dizer é, o meu objetivo no primeiro álbum era mostrar o som desse trio especificamente. Portanto, todas as músicas carregavam as dinâmicas que existia entre nós. "Esperanza" é mais o meu som. Eu como líder.

Nu-Soul: Que você é um talento como cantora e como baixista todos sabem. Mas 9 das doze canções de "Esperanza" são suas. Você também está se revelando compositora...
Esperanza: Ah sim. Estou pensando em continuar desenvolvendo todos meus talentos! É engraçado... que outra coisa que eu faria? Nada? No fundo eu sou um músico de jazz e o meu compromisso é com a evolução. Mas, para responder a sua pergunta sobre meu lado compositora, eu comecei escrever letras quando eu tinha uns 15 ou 16 anos.

Nu-Soul: Qual é a música mais Esperanza Spalding do novo álbum?
Esperanza: "I adore you". É a mais próxima de mim musicalmente.

Nu-Soul: Você fez aulas de canto?
Esperanza: Eu tive algumas aulas particulares com uma mulher chamada Anne PECKHAM. Isso realmente me ajudou a aprender a preparar a minha voz para cantar bastante. Fora disso, nada digno de menção.

Nu-Soul: Quando foi a primeira vez que você ouviu a palavra prodígio?
Esperanza: Isso é bastante recente. Estou rodeada de prodígios só que não são reconhecidos como tal. Eu acho que é só um termo marqueteiro para me diferenciar. Quer dizer, você quer um prodígio, confira alguns dos trabalhos do Billy Drew. Isso para mim é pródigo, mas, de algum modo a palavra agora é sempre associada a juventude, e eu não acho que é justo.

Nu-Soul: Quem você anda ouvindo ultimamente?
Esperanza: Bem, eu ando com uma enorme sacola cheia de CDs. Quem anda me dando uns solavancos no coração são "Skunk Funk" do Randy Brecker, The Ray Bryant Trio featuring Carmen McRae, "Perceptual" de Brian Blade e "Soulsinger" da Ledisi.

Nu-Soul: Quem você gostaria de conhecer que você ainda não conhece?
Esperanza: Barack Obama, Ivan Van Sertima, Freddie Hubbard, Mos Def, Henry David Thoreau (espero que nos encontremos na vida após a morte, ele é meu favorito!).

Nu-Soul: Depois de ter conseguido tanto com tão pouca idade, o que impulsiona você? Quais metas que pretende alcançar?
Esperanza: Bem, eu realmente não sinto que eu tenha conseguido alguma coisa terrivelmente digna de nota. Eu ainda estou aprendendo e tenho muito para observar. Quero impulsionar todos os aspectos da minha própria criatividade, e viver cada momento intensamente. Acho que isso irá contribuir para o meu legado.


Fonte: New Soul Magazine
Versão e Texto: Sérgio Scarpelli

23/10/2008 07:46:29