19/05/2011

25 anos de James Taylor Quartet

Para comemorar seu aniversário, a banda inglesa lanca o álbum "The Template" com um show de Hamond e de John Turrel.
 
 
 
 

Conheci a banda The James Taylor Quartet ainda nos Anos 90 muito por causa da minha paixão avassalora pelo Acid Jazz. Mesmo estanhando o nome que me lembrava o cantor americano molenga que eu sempre detestei, a banda arrebatou meu coração logo de cara.

Hoje posso dizer que James Taylor e seu inconfundível órgão Hamond marcou toda uma época e se tornou algo como o ícone do movimento Acid Jazz para mim. Por mais que reconheça o Jamiroquai, Incognito e The Brand New Heavies também o são, o JTQ é mais.

Acho que foi a banda mais Acid Jazz de todas. Muito graças ao talento inegável de James Taylor como músico.Ele é considerado um dos melhores caras que tocam Hamond na Inglaterra por causa do seu toque suave no teclado e apelo Funk.

Outro detalhe interessante é que James Taylor foi um mestre também de reiventar trilhas sonoras de séries policias que recorriam nos Anos 70 a grandes músicos do Jazz. Por exemplo a trilha da série televisiva "Missão Impossível" foi composta por Lalo Schifrin.

Tanto que dois dos maiores sucessos da banda inglesa são "Theme From Starsky & Hutch"  e a própria "Mission: Impossible", Ou seja, misturando temas de filmes Policial Funk com Boogalo e ocasionais vocais Soul, a banda foi contruindo sua carreira.

E agora 25 anos depois, James Taylor Quartet nos brinda com o incrível "The Template". Um álbum fora de série, basicamente instrumental. Só em 4 faixas ele colocou vocais e que vocais. Simplesmente do cantor John Turrel que é uma das melhores vozes Soul da atualidade.

E um álbum onde o som do  Hamond é o ator principal e o resto é coadjuvante. Mas aí que está a genialidade do músico inglês. Ele consegue criar maravilhas para acompanhar seu instrumento favorito. Chamar John Turrel é realmente ter um cuidado absurdo para garantir boa música.

Entre os 5 maiores detsques do álbum, 3 tem a voz de Turrel. A faixa "Woman" que é uma balada beíssima.  "Light Up Your Soul" que é um Jazz Funk genuíno. E a melhor delas é "Why Can't We Get Alone" que é aquele tipo de balanço que só se faz na terra da Rainha.

N
as faixas instrumentais eu destaco a faixa título "The Template" que é uma pedrada. O Hamond de James Taylor deve ter pegado fogo depois da gravação. E "Home Is Where The Hated Is" que é uma linda versão instrumental para o clássico de Gill Scott-Heron.

Parabéns pelos 25 anos. Mas quem ganhou o presente foi a gente! Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli