03/07/2021

Jam de Jamiroquai

Em mais de 20 anos de estrada, o Jamiroquai vendeu mais de 30 milhões de álbuns, emplacou mais de 20 hits e o melhor, criou um som e um estilo só dele.
 
 
 
 

Quem diria que uma banda que nasceu num movimento praticamente pequeno e curto que foi o Acid Jazz poderia conquistar o mundo. Quem diria que um skatista que usava chapéus estranhos e tinha a voz parecida com a do Stevie Wonder poderia se tornar um ícone de toda uma geração.

Isso aconteceu e tudo começou há praticamente 20 anos na Inglaterra, quando o cantor Jason Kay, depois de ter sido recusado como vocalista do The Brand New Heavies, se juntou aos músicos Nick Van Gelder, Toby Smith, Stuart Zender e Wallis Buchanan e formaram o Jamiroquai.

Este nome que soa tão familiar hoje já soou estranho antes  Veio da mistura do termo musical "jam" com o nome de uma tribo indígena norte-americana "Iroquai" a qual Jay Jay é simpatizante. Eles lançaram o primeiro single “When you gonna learn?” pelo selo Acid Jazz.

 
 
 
 

A música estourou logo de cara na Inglaterra e o Jamiroquai começou a ser disputado a tapa pelas grandes gravadoras. Até que a Sony venceu a disputa e assinou um contrato sem precedentes prevendo 8 álbuns. Assim nascia o incomparável "Emergency On Planet Earth", 1º álbum da banda.

Além de ser inegavelmente o melhor álbum deles até hoje, "Emergency On Planet Earth" também ostenta o título do álbum que vendeu mais cópias em menos tempo na Inglaterra. É um álbum sublime que carrega toda aquela magia do Acid Jazz e vai além.

Tem músicas memoráveis como a própria When you gonna learn?”, "Blow Your Mind", "If I Like it, I Do It", a faixa título "Emergency On Planet Earth", "Hooked Up" e "Too Young To Die".  Ou seja é muita música boa num álbum só e estipula o som único do Jamiroquai.

 
 
 
 

Space Cowboy e a Conquista do Mundo

Um ano depois, em 1994, o Jamiroquai lançou "The Return Of Spece Cowboy" que continuava naquela levada Acid Jazz com letras bem apimentadas e satíricas. Tem músicas brilhantes como "Mr Moon", "Just Another Story" e lógico "Space Cowboy".

Mas o sucesso de "The Return Of Space Cowboy" não ultrapassou as fronteiras britânicas. E lógico que a Sony não ficou nada satisfeita por isso e escalou David Morales para fazer o remix de "Space Cowboy". Reza a lenda que Jay Kay jamais aprovou a versão de Morales.

Mas foi a versão de David Morales que fez o Jamiroquai acontecer fora da Inglaterra e se tornar uma banda conhecida principalmente nos Estados Unidos e no mundo. Ela foi a primeira música da banda inglesa a alcançar o 1º liugar nos charts americanos.

 
 
 
 

Lógico que gostando Jay Kay ou não, o remix de "Space Cowboy" foi uma espécie de greencard para o Jamiroquai entrar no maior mercado de música do mundo. E sem querer ser o dono da verdade ou purista, a versão de Morales é definitiva e bem melhor que a original.

Na carona deste sucesso o Jamiroquai lançou seu terceiro álbum "Traveling Without Moving" que é o mais vendido da história da banda com mais de 11 milhões de cópias. E que marca o afastamento gradativo do Jamiroquai daquele seu som e sua chegada ao mundo Pop.

Mas isso em nenhum momento significou perda de qualidade. "Traveling Without Moving"  tem simplesmente a maior música da banda até hoje "Virtual Insanity". Isso sem contar "Alright" que é fabulosa e também  "Cosmic Girl" e "High Times".

 
 
 
 


"Traveling Without Moving" também rendeu o primeiro Grammy da banda e o grande prêmio da MTV para o video de "Virtual Insanity" que até hoje é um dos melhores clips já feitos na história. Fora que tornou o Jamiroquai uma banda popular no mundo todo inclusive aqui no Brasil.

"Synkronized" veio a seguir e é talvez o álbum mais difícil do Jamiroquai. Talvez porque foi um álbum feito as pressas pois já estava quase pronto quando Stuart Zenden deixou a banda, e suas composições foram com ele. Mas é um dos meus preferidos também.

"Synkronized" tem grandes músicas como os grooves "Canned Heat", "Soul Education" e "Where Do You Go From Here" com grandes influências Disco. e as belíssimas "Butterfly" e "Falling". Incrível como o jeito Jay Kay de cantar lembra muitas vezes Gil Scott-Heron.

 
 
 
 

O ano de 2001 é considerado o auge do Jamiroquai em todos os sentidos marcado pelo  lançamento do álbum "A Funk Odissey" que é seu segundo maior sucesso comercial e o que tem mais influências da Disco Music. E a turnê mundial do álbum foi a mais bem sucedida da banda.

Aliás vale o parenteses que o Jamiroquai ao vivo é tão bom ou até melhor que em seus álbuns. Jay Kay é um cara muito simpático no palco e tem um carisma fora do comum. Fora que o Jamiroquai é banda, banda mesmo, com tudo que tem direito. Fui testemunha disso 3 vezes.

Apesar de "A Funk Odissey" ter uma coleção de ótimas músicas como  "Litte L ", "You Give Me Something", "Love Foolosophy", "Main Vain" e a lindíssima "Corner Of The Earth foi extremamente criticado por fãs mais antigos por não ter mais o "Som do Jamiroquai".

 
 
 
 

Cada vez mais com cada vez menos membros fundadores em 2005 o Jamiroquai lança o ótimo "Dynamite" que pra mim está sem dúvida entre os melhores da banda. Foi o último álbum de músicas originais lançado pelo grupo ainda sob a tutela da Sony.

É dele a música o que eu considero a melhor  do Jamiroquai. A sapatada "(Don't) Give Hate a Chance". Uma música perfeita que emociona porque tem tudo que eu gosto. Pegada disco, uma melodia bonita, arranjo impecável e uma linha de baixo estonteante.

Além dessa maravilha, "Dynamite" ainda se reserva o direito de ter "Seven Days In Sunny June" que carrega toda a essência do som da banda. E se não bastasse, o álbum ainda tem a impagável "Time Won't Wait"e a deliciosa "Hot Tequila Brown".

A coletânea "High Times" encerrou o ciclo do Jamiroquai na Sony. Além dos melhores hits, dois novos singles foram inseridos. "Radio" e a sensacional "Runaway". Além do álbum a coletânea saiu em video. Aliás este DVD assim como "Live In Verona" são obrigatórios.

 
   
 

Depois de muitos rumores sobre o fim da banda, o Jamiroquai voltou em 2010 com "Rock Dust Light Star". E a melhor notícia foi que o tempo não alterou em nada o som e o vigor da banda. Continuaram fazendo aquele Funky Groove irresistível com os dois pés na Disco Music.

"Rock Dust Light Star"
foi gravado quase inteiramente de forma caseira. Jay Kay disse que quis voltar ao básico e fazer um álbum "Lo-Fi". Engraçado é a forma caseira dele, gastando do próprio bolso mais de meio milhão de libras para a produção.

Jay Kay
realmente sabe das coisas porque ele conseguiu fazer um álbum impecável que resgata e renova o som da banda  em faixas como "Two Completely Different Things", "All Good In The Hood", "She is a Fast Persuader", "Smoke  and Mirrors" ,“Lifeline” e "White Knuckle Ride".

Enfim desde 1992 o Jamiroquai é uma banda que frequenta o meu coração. Apesar de ser muito fã do início de sua carreira, não fui pago para o guardião do som da banda. Por isso amo todos seus momentos e suas fases, e coloco o Jamiroquai entre as minhas bandas antológicas.

 
 
 
 



Sérgio Scarpelli