05/11/2008

John Legend em entrevista

Conheça um pouco mais do autor da belíssima P.D.A. (We Just Don't Care).

 
 
 
 
Ele é John Stephens. Mais conhecido com Legend. Não entrando em discussão se ele merece ou não este título de lenda, o cara é ótimo e veio pra ficar.

Seu segundo álbum "Once Again" provou isso. Ele tinha tudo para repetir a mesma fórmula do seu primeiro álbum. Vários grammys, vendas multi-platinadas e sucesso absoluto de crítica. Mas John Legend surpreendeu. Fez um trabalho mais maduro, com mais qualidade, e delineado para outros rumos. Isso quer dizer, deixou os vocais Rap um pouco de lado, apostou nas guitarras em detrimento ao piano, e em sons mais orgânicos. No popular, fez um delicioso álbum de soul music.

Os singles "Save Room" e principalmente "P.D.A. (We Just Don't Care)" são músicas que tem tudo para virar clássicos e tocarem durante muitos anos. Isso sem falar no seu dueto impecável com Ray Charles em "Touch". Ou sua regravação do clássico de Stevie Wonder "Don't  you worry'bout the thing". Compositior e pianista de mão cheia,  Legend esbanja talento e bom gosto.

Seu sucesso não aconteceu por acaso. Acompanhe um resumo de uma ótima entrevista que ele concedeu a Michelle Reid do site britânico musicomh.com

Michele: Quando foi sua primeira experiência com música?
Legend: Eu comecei a tocar piano com 4 anos. E dois anos depois já estava cantando na igreja. Minha mãe regia o coral, meu pai era o bateirista e minha avó tocava órgão. Eu vim de uma familia extremamente musical.

Michele: E quando foi sua primeira experiência no negócio da música?
Legend: Foi em 1998. Uma grande amiga Tara Michel me apresentou a Lauryn Hill. Lauryn me convidou para tocar na música "Everything is Everything" do seu disco "The Miseducation of Lauryn Hill". Depois disso comecei a trabalhar junto com Kanye West que me ajudou muito em meu primeiro trabalho em 2004.

Michele: E como é fazer sucesso?
Legend: É muito divertido. Eu viajo para o mundo inteiro. Ouço as pessoas cantando minhas músicas. Não existe nada melhor do que isso. Do que inspirar alguém com seu trabalho.

Michele: Se você não fosse músico, o que seria?
Legend: Não ser músico? Isso nunca passou pela minha cabeça. Eu sei que pode parecer arrogante de minha parte, mas eu acredito que nasci para fazer música.

Michele: O que você escutava na sua adolescencia?
Legend: Muito R&B e Gospel. Ouvia Jodeci, Boys II Man, Stevie Wonder, Marvin Gaye, Artetha Franklin. Já hoje eu ouço de tudo, de hip hop a rock.

Michele: Eu ouvi que você está trabalhando com Michael Jackson. O que tá rolando?
Legend: Não é verdade. Eu compus alguns sons para ele, mas ainda estou esperando sua resposta. Se ele vai usar, eu não sei, mas espero que sim.

Michele: Qual é a música que você compôs para outra pessoa cantar que você sente mais orgulho?
Legend: "Love of You" , uma música que fiz para Chrisette Michele.

Michele: Você se vê fazendo um álbum gospel?
Legend: Sim, com certeza. Mas no momento prefiro falar sobre amor, relacionamentos e outras coisas.

Michele: Seu nome verdadeiro é John Stephens. De onde vem Legend?
Legend: Um de meus amigos me chamava de "Legend". Era uma espécie de apelido. Com o passar do tempo, todo mundo que eu conhecia me chamava John Legend. Achei legal adotar este nome artístico. É sonoro.

Michele: Como você se sente fazendo sucesso na Inglaterra?
Legend: Os jovens britânicos tem um gosto musical muito mais eclético, mais apurado. Nos Estados Unidos tudo é mais radical. Black Music lá é isolada. Na Inglaterra os jovens estão mais abertosa estilos diferentes.

Michele: O que você acha da música britânica?
Legend: Se faz música muito boa. Adoro Amy Winehouse, Lily Allen e Corinne Bailey Rae. Também já trabalhei com Estelle e já me apresentei junto com Amy e Corinne. Tem muita gente de talento na Inglaterra.

Michele: Como foi seu trabalho com Estelle?
Legend: Eu gosto de sua atitude. Estelle tem talento, carisma e contagia seu público com sua perfomance. Eu procurei ajudá-la a maximizar tudo isso.

Michele: Pra terminar, descreva sua música em 3 palavras.
Legend: Só três? Ok, então vamos lá: soulful, sensual e profunda.

Entrevista: Michelle Reid
Fonte: musicomh.com
Versão e texto: Sérgio Scarpelli

25/10/2007 00:01:39