06/11/2008

Jazzanova - Belle et Fou

Mais um álbum que comprova a criatividade dos Jazzanova.

 
 
 
 
O espetáculo teatral alemão de Hans-Peter Wodarz e Arthur Castro chamado "Belle Et Fou" teve um capítulo a parte e que tem muito a ver com a gente. A trilha sonora composta por ninguém menos que o coletivo Jazzanova. E isso significa que temos em mão um belo álbum.

"Belle et Fou" traduz muito bem o espírito libertino do jazz ou os sentimentos genuínos de uma soul classicista em busca da modernidade que o Jazzanova sempre se prontificou a fazer.

Com uma carreira de 10 anos que mais passou pelos remixes do que pelas composições originais, estes caras parecem ter aquele velho toque de Midas. Tudo o que eles botam a mão no mínimo é interessante e criativo.

"Belle Et Fou" não traz nada de muito novo em termos musicais a não ser uma escolha eclética de temas. É uma variedade sonora muita da boa. Tem desde o pop/soul mais eletrônico até músicas totalmente orgânicas com várias influências inclusive de Barry White. No polular, é um bom gosto só seja que caminho eles tomem.

O destaque vai para a faixa "Ice". Um groove instrumental de tirar o fôlego. É incrível saber que quem está por trás desta música é nada menos que um grupo que se notabilizou através dos recursos eletrônicos. Sua sonoridade é orgânica quase como um Earth Wind & Fire.

Outra faixa que eu gosto muito é "Just A Lil Lovin" dos Outlines. Aí sim o computador faz as vezes e destila uma balanço delicioso.

"Rendez Vous" com um Capitol A também é divina.

Assim como "Theme From Belle Et Fou (Bows)" e "The Sirens Call". Enfim Jazzanova é totalmente indispensável seja qual for o disco. E "Belle et Fou" não foge a regra. Resta a nós mortais aguardar o novo álbum e descobrir que mutações na estética eles vão fazer em sua música. Já sei que vai ser bom mesmo não sabendo o que é.

Sérgio Scarpelli

06/03/2008 19:02:34