22/04/2010

Soul à Dinamarquesa

Há algo de muito bom no Reino da Dinamarca. Como a Soul Music diferente e inspirada do duo Quadron.
 
 
 
 

Não me causa supresa nenhuma ouvir uma Soul Music muito da boa originada lá na Escandinávia. Hoje a música realmente não tem fronteiras e o que antes era uma exclusividade da cultura negra, agora é global. Desde que bem feita a chamada blue-eyed soul é sempre bem-vinda.

É o caso do duo Quadron, formado pelo produtor e multi- instrumentista Robin Hannibal e a cantora Coco O que manda muito bem. O fato de serem dinamarqueses torna sua Soul Music quase única com uma abordagem que não conhece o medo e respeita poucos limites.

Aqui não existe aquela obrigação de ser um autêntico blue-eyed soul britânico ou americano. Eles são originais ao extremo temperando a Soul Music com elementos de jazz, e do pop, através de arranjos melodiosos e acabamento  funky. E isso tudo é muito bom.

O resultado é uma coisa rara. Embora em grande parte seja eletrônica, não há nenhuma contradição em termos de Soul Music. Há uma quebra de regras, mas sem sobbressaltos. É provavelmente o que Jill Scott ou Erykah Badu poderiam estar fazendo agora por exemplo.

A chave de tudo é que eles trazem o frescor a vertente, resgatando aquela vibe vintage da Motown. mas sem perder a originalidade. Tudo tem o estilo Quadron. As composições de Hannibal tem profundidade e permite todos os tipos de sutilezas para os vocais de Coco.

Aliás Coco O é um capítulo a parte do Quadron. Ela  se apresenta com todos os tipos de disfarces. Tem facilidade em mudar o timbre e consegue imprimir uma estética única em cada música do Quadron. Por mais que conheça Hannibal de outros carnavais, Coco é que faz a diferença,

Destaque 5 estrelas para a faixa "Simili Life". É de uma beleza descomunal. Hannibal escolheu aquele beat tranquilinho bem ao estilo Marvin Gaye e Coco O destila todo seu talento em cada pedacinho da música. É um Smooth Soul bem diferente de tudo.

Outras maravilhas do álbum são as faixas "Buster Keaton""Slippin",  e "Pressure" que é totalmente Motown. Aqui realmente Hannibal ouviu muito as Supremes pra fazer a música. Enfim e seu álbum de estréia contraria a frase célebre de Shakespeare.

Há algo de muito bom no Reino da Dinamarca. Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli