06/04/2009

Shinichi Osawa – The One

Criador do grupo japonês Mondo Grosso coloca o dedo na tomada em seu álbum solo.
 
 
 
 

Um dos gênios do groove japonês, o produtor Shinichi Osawa mudou completamente sua música em álbum solo chamado “The One”. Diria que ele colocou o dedo na tomada para compor estas músicas de tão eletro que elas são. Mesmo assim não perdeu sua genialidade nem um pouco.

Os fãs do Mondo Grosso vão estranhar bastante a versão mais moderna de Shinichi Osawa. E talvez até torçam o nariz. Mas garanto que a impressão estranha que ele deixa em cada faixa é simplesmente esquecida quando você escuta o álbum mais de uma vez.

Dá pra entender perfeitamente onde ele quer chegar. Ou seja, Shinichi Osawa não quis fazer mais do mesmo. Experimentou outras searas da música eletrônica. Ousou e isso causou um monte de erros e um monte de acertos também.

Um dos acertos com certeza foi a escolha dos vocalistas Nelson, Ania, Simone Rubi, Ultra Brain, e Princess Superstar. Eles  garantem qualidade  e melodia aos grooves elétricos criados por Shinichi. Se o álbum inteiro é agressivo, os vocalistas suavizam a vibe.

Shinichi Osawa foi um dos grandes nomes da música japonesa nos anos 90. Com o Mondo Grosso ele conseguiu fama e dinheiro. E uma pancada de músicas antológicas como “Butterfly” por exemplo. Neste século ele mudou seu foco mais para os lados da Eletro House.

Colocou guitarras mais estridentes, uma instrumentação complicadésima, e beats  mais duros. Deve ter ouvido muito Basement Jaxx antes disso tudo. Mas o cara não é fraco não e músicas como a maravilhosa “Star Guitar”  deixa isso muito claro. Outros destaques  são "Our Song", "Dreamhunt", "Maximum Joy" e "Rendezvous".

Diferente e menos palatável, mas ótimo mesmo assim!


Sérgio Scarpelli