25/03/2011

Muito Bom Mr President!

O produtor e multi-instrumentista francês Patchworks lança o 1º álbum do seu projeto Mr President que é um tributo ao bom e velho funk.
 
 
 
 

Se tem um cara que vem contribuindo muito para a boa música negra é o produtor e multi-instrumentista francês Bruno Hovart mais conhecido como Patchworks. Um cara desprovido de melanina no corpo mas que tem uma alma absolutamente negra.

Se não bastasse seus projetos  Uptown Funk Empire, The Dynamics e Metropolitan Jazz Affair, agora ele decidiu de vez investir na faceta Mr President que até hoje tinha alguns minguados singles lançados por aí. Mas agora tem um álbum inteiro chamado "Number One".

Patchworks faz parte de uma legião de jovens músicos que são entusiastas da música negra remanescente dos anos 70. Com aquele groove viciante que dá uma vontade danada de dançar. E agora com o Mr President ele assina seu legado em prol da vertente definitivamente.

Se no Metropolitan Jazz Affair ele flertava com a sonoridade mais crua do Jazz e no Uptown Funk Empire com elemnetos da Disco Music, neste seu projeto Mr President ele realmente mergulha fundo no universo do Funk. E pela qualidade das músicas, é nítido que esta é sua praia de verdade.

Está certo que este fenômeno de resgatar o som mais puro da música negra produzida nos tempos da Stax  e da Tamla Motown não é noviadade  pra ninguém. Sharon Jones, Lee Fields, The Dap Kings, Bamboos e tantos outros nadam nestas águas faz um bom tempinho já.

Mas o que torna o Mr President diferente é o frescor de suas composições. Patchworks é um músico notável que consegue pegar elementos muito conhecidos e reiventá-los sob sua ótica musical. Seu trabalho aqui é relevante e extremamente expressivo.

À primeira vista, "Number One" é uma obra cheia de referências musicais que lembram Curtis Mayfield, Fela Kuti, Billy Paul e Fatback Band. Mas seus arranjos sutis dão autenticidade extra para as batidas orgânicas e para os vocais de Mr Day, Hawa e Mounam.

É um Soul Funk cativante, pulsante e dinâmico. Todas as músicas são bem feitas, bem costuradas e principalmente bem tocadas. Aqui não há em nenhum momento sentimento de nostalgia. Os anos 70 servem apenas como referência, apesar de toda aura vintage.

Além das faixas "Meet Again" e "Love and Hapiness" lançadas em single há bastante tempo, "Number One" tem faixas realmente incríveis.  E ao ouvir o álbum inteiro a sensação é deliciosa. Não só porque você curtiu um groove dos bons mas porque você ouviu música de verdade.

Destaco assim a faixa "Left and Right" toda instrumental que tem um certo  olhar sobre "Shaft" de Isaac Hayes. Fazia tempo que eu não ouvia um Funk instrumental tão bom e tão puro quanto esse. É notório que Patchworks usou todo seu aprendizado nos conservatórios de Lyon.

Outras faixas maravilhosas são "Get It Sometimes", "The Best Is Yet To Come", "Who' s Gonna Fall", "Bike Riding" e "Celebrate".  Ou seja, temos aqui um álbum notável que resgata o fulgor e suor do Funk sem jamais parecer datado ou antigo. E isso é sempre muito bom!

Altamente recomendado!


Sérgio Scarpelli



Para mais informações acesse www.myspace.com/mrpresidentmusic