28/10/2009

O Debut de Melanie Fiona

A bela cantora canadense estréía na música com o bom mas irregular álbum “The Bridge”.
 
 
 
 

A julgar pela capa onde temos um retrato de Melanie Fiona olhando tão séria quanto possível, com uma iluminação escura e com tons sombrios, parece que estamos diante de uma nova cantora de Soul da cena underground inglesa que não se se enquadra no mercado mainstream ..

Mas é só a primeira impressão. Na verdade o álbum “The Bridge” de Melanie Fiona nasceu para ser hit. Apesar de ter a produção sob a tutela de uma tonelada de nomes que você nunca ouviu falar, 80% das músicas foram concebidas para tocar em radio e muito.

Melanie Fiona Hallim nasceu no Canadá mas sua familia inteira é da Guiana. Ela tem uma voz fabulosa para a Soul Music. E não me espantaria em nada se ela virar a nova queridinha da vertente. “The Bridge” mostra seu talento apesar de ser até certo ponto descartável.

Não que o álbum seja ruim. Está muito longe disso. Mas a julgar pelo potencial da moça e por todo investimento feito em torno dela, “The Bridge” poderia ter sido muito melhor. Alguma coisa faltou aqui para tornar o álbum acima de qualquer suspeita. Talvez um Mark Ronson.

Não espere uma elevada porcentagem de originalidade. Muitas destas músicas poderiam facilmente ter sido cantadas por Amy Winehouse , Adele ou Duffy por exemplo. É quase um mais do mesmo do bem. Ele encanta na maioria das músicas mas não surpreende jamais.
 
A música que mais me agrada é “Johnny”. Tem uma levada gostosa no melhor estilão Supremes. Ela realmente consegue te envolver do começo ao fim. “Give It to Me Right” é outra que abocanha a atmosfera Motown com Hammond rolando solto. Deverá ser o grande hit da cantora.

A agitadinha “Monday Morning” e a balada “You Stop My Heart” também são surpreendentemente deliciosas de se ouvir. Mas fica só nisso. O resto são reggaes e spins modernos que não valem muito a pena. Mesmo assim, Melanie Fiona agrada. Uma bom debut!

Recomendado!

Sérgio Scarpelli