20/11/2009

A Volta de Angie Stone

Uma das mães da Neo Soul lança seu novo álbum “Unexpected” e garante ótimos momentos de música negra.
 
 
 
 

Durante as 3 últimas décadas a belíssima boz de Angie Stone vem fazendo a diferença. Considerada uma das mães da Neo Soul, ela já encantava no incrível e saudoso grupo Vertical Hold e depois deslanchou numa carreira solo com direito a momentos brilhantes, Grammy e vendas platinadas.

Mas por mais que ela fosse sempre uma cantora fantástica, jamais tinha visto uma Angie Stone tão elegante  e com um repertório tão sentimental. Prova que sua entrada na Stax Records fez um bem danado pois seu álbum anterior já era um dos mais regulares da sua carreira.

Confesso que quando ouvi o single "I Ain't Hearin 'You" lançado há mais de um mês fiquei otimista quanto ao álbum. E ao ouví-lo tudo se confirmou graças a Deus. Apesar de ser um álbum essencialmente de baladas, temos uma Angie Stone cantando melhor que nunca.

Lembrando que Angie Stone foi quase uma das pioneiras em misturar Soul com Hip Hop, me surpreendeeu que este seu "Unexpected” tenha um apelo mais romântico e mais elegante. Mas agrada em cheio. As melodias são simples e tudo soa muito harmônico mesmo nos sons ‘modinha”.

Existem vestígios da Soul Music dá década de 90 na balada quiet storm "Kiss All Over Your Body" e na maravilhosa “ Maybe”. E é bem interessante Stone fazer o tipo de soul tão popular nas rádios nos anos 90 enquanto ela naquele instante era totalmente alternativa.
 
Quanto aos grooves temos a faixa “Unexpected” que é deliciosamente estranha, "I Ain't Hearin 'You" que tem cara de hit e a midtempo “Hey Mr DJ”. Juro que ouvi umas 3 vezes para saber se era um remake da canção homônima do grupo Zhané e não cheguei a conclusão nenhuma.

As baixas do álbum são quando Angie Stone tenta ser moderna e embarca nos acordes do R&B atual. “Free”  me lembra o Akon e isso me causa arrepios profundos de horror. “Tell Me” é outra que passeia por estas bandas de pretensa modernidade. Mas é mais apetitosa.

E claro que o melhor momento eu deixei pro fim.  A balada “ Why Is It” é de uma beleza descomunal. E em “I don’t care” temos uma Angie Stone elegantésima, no auge da forma. Numa batida cadenciada no melhor estilo Neo Soul, é disparada a grande faixa do álbum.

Mesmo com alguns modismos,recomendado!


Sérgio Scarpelli


A