05/11/2008

Mais uma prova que D’Angelo é um dos grandes mestres da Neo-Soul.

D’Angelo – Yoda – The Monarch os Neo-Soul

 
 
 
 
Ele é meio hermitão. Produz um disco de vez em nunca. Neste 12 últimos anos foram apenas 2 álbuns de estúdio, "Brown Sugar" em 1995 e "Voodoo" de 2000, e um álbum ao vivo "Live At The Jazz Cafe" de 1998.

E para por aí. Mesmo assim D'Angelo ainda carrega a aura de um gênio do movimento Neo-Soul. Está muito a fernte dos outros. Na minha opinião "Voodoo" está entre os grandes álbuns de todos os tempos da soul music.

E não é que outro dia eu recebo um release de um novo lançamento de D'angelo. Eu tomei até um susto. Como eu não soube disso antes? Fui pesquisar a fundo e vi que se tratava de um catadão. Está certo que é um catadão de respeito. Tudo explicado.

"Yoda-The Monarch of Neo-Soul" é uma coletânea de gravações inéditas de D'Angelo. Não se trata de material novo. Mas sim de músicas não editadas e gravações raras.

O destaque vai para "Everybody Loves The Sunshine", uma homenagem rasgada a um dos maiores ídolos de D'Angelo e um dos grandes caras da música do século 20, Roy Ayers. Tem outros vários covers sublimes, gravados ao vivo como "Send It On", "Devil's Pie" e "Can't hide Love". Al Green, Ohio Players e Prince também são homenageados com belas versões.

Enfim, ter um D'Angelo novo é sempre boa notícia. Mesmo que o álbum seja raro. Tão raro quanto ele mesmo.

Sérgio Scarpelli

31/12/2007 10:52:48