11/06/2009

Quem é Vivo Sempre Aparece

Depois de longos 8 anos, Maxwell retoma sua carreira com o álbum “BLACKsummer’night"que promete.
 
 
 
 

Há exatos 15 anos aparecia na música um cara de 21 anos chamado Maxwell que fez renascer a Soul Music com o álbum "Maxwell's Urban Hang Suite". Era notório que ali Maxwell estava retomando o legado deixado por Marvin Gaye. Até o compositor Leon Ware, que foi um dos parceiros do finado mestre, escreveu canções para aquele álbum fantástico.

Maxwell merecidamente estourou colocando a pedra fundamental no movimento intitulado de Neo Soul. O impecável "Maxwell's Urban Hang Suite" ainda contava com a participação do guitarrista Wah Wah Watson e do saxofonista Stuart Matthewman e teve no single "Ascension (Never Wonder)" o catalisador para o grande sucesso do álbum. Digo sem medo de errar que é uma obra prima da Soul Music.

Com uma mistura de sangue índio e porto-riquenho, mas nascido no Brooklyn, em Nova Iorque, Maxwell começou a tocar com 17 anos, depois de um amigo de infância lhe ter oferecido um órgão a pilhas, e foi nessa altura que compôs suas primeiras músicas e fez suas primeiras aparições no circuito de bares de Nova Iorque. Desse modo, o cantor chamou a atenção da Columbia Records.

 
 
 
 

"Maxwell's Urban Hang Suite" foi um álbum conceitual, que abordava a monogamia enaltecendo o chamado romantismo "à moda antiga", através de sonoridades carregadas de sensualidade, mas ao mesmo tempo próximas do funk e do psicodelismo. Naquele ano, Maxwell ganhou o título de Melhor Artista R&B pela "Rolling Stone” e teve inúmeras indicações para o Grammy.
 
"Maxwell's Urban Hang Suite"
era tão bom e tinha tanto frescor que sua versão “MTV Unplugged" também fez um sucesso danado. Quatro anos se passaram até Maxwell lançar "Embrya", seu segundo álbum e bem menos inspirado diga-se de passagem. Ele deu meio que uma abandonada nas raízes Soul dos anos 70 e aí eu acho que perdeu o fio da meada. Mesma coisa para "Now" lançado em 2001.

Depois disso ele tomou aquele famoso chá de sumiço até que no ano passado deu o ar da graça no “BET Awards” no tributo ao gênio Al Green interpretando brilhantemente a música 'Simply Beautiful'. Era o prenúncio que o rei da Neo Soul estava voltando pra valer. Dizem que o sucesso desta performance foi o que motivou Maxwell a voltar aos estúdios de gravação.

 
 
 
 

Pois bem, dia 7 de julho chega as lojas o álbum “BLACKsummer’night “ que já tem dois singles lançados  "Pretty Wings" e "Bad Habits". Ouvi alguns trechos de outras faixas também e percebi que se nos anos 90 ele retomava Marvin Gaye, aqui Maxwell está tentando retomar o próprio Maxwell. Aquele do “Urban Hang Suite" com muito romantismo e sensualidade.

As músicas que ouvi como "Cold", "Love You", "Stop The World", "Fist Full of Tears" e"Help Somebody", assim como os dois singles lançados, não trazem nada de absolutamente novo em se tratando de Maxwell. Mas tem uma beleza e um lirismo que ele tinha deixado um pouco de lado nos antigos álbuns antecessores. Por isso “BLACKsummer’night “ promete e muito!


Sérgio Scarpelli




Conheça o single “Pretty Wings”. Acesse www.musze.com